Dicas

Piolhos de plantas

Características dos piolhos das plantas

É com a chegada do verão que o jardim começa a revelar pequenos prémios ao trabalho preventivo já realizado nos meses anteriores: as plantas voltam a crescer e a florir, decorando todo o espaço exterior que ficou um tanto vazio durante o inverno. O trabalho do entusiasta do verde, porém, está longe de terminado: não basta encontrar excelentes resultados e flores exuberantes, mas é preciso saber como mantê-los, continuando a cuidar constantemente das plantas e iluminando-as. e água conforme a necessidade, conseguindo ao mesmo tempo defendê-los dos ataques de pragas: Eles se propagam principalmente com a chegada do verão e podem ter um efeito devastador nas lavouras: a prevenção é fundamental e, se não eficaz, é muito importante notar a presença de parasitas a tempo de poder intervir adequadamente. Entre os parasitas mais comuns estão os pulgões, também conhecidos como «piolhos das plantas»: são pequenos insetos de cerca de 2-3 mm, que podem ter cores diferentes, do amarelo ao preto. Os piolhos das plantas são nocivos porque têm uma boca particular que lhes permite retirar grandes quantidades de seiva da planta, alimentando-se dela, mas ao mesmo tempo impedindo que as plantas tenham o alimento necessário para continuar a viver.

Prevenção

Como os piolhos das plantas podem atacar muitas espécies e, se não forem completamente erradicados, os sobreviventes continuam a proliferar dando origem a uma nova e massiva colonização, a prevenção é muito importante para evitar riscos. O primeiro passo, neste sentido, é constituído pelo cultivo correto das plantas: espécimes fortes e saudáveis, porque cultivados no mais pleno respeito às suas necessidades, também serão mais resistentes ao ataque de pulgões. Um segundo remédio preventivo é não recriar, em vez disso, as condições ideais de vida para a proliferação de piolhos: portanto, ambientes muito úmidos e estagnados devem ser evitados, onde há pouca circulação de ar, a umidade excessiva e a luz solar dificilmente afetam as folhas, principalmente se eles são internos. Essas atenções,

Luta biológica


Se a prevenção não é suficiente para evitar o ataque dos parasitas e mesmo assim sua presença é detectada nas plantas, é necessário intervir para erradicar a colonização em curso. Os métodos que podem ser usados ​​são vários e podem ser mais ou menos indicados com base em vários fatores: o tipo de praga, a gravidade da situação e o tipo de planta afetada. Na verdade, diferentes produtos podem ser mais ou menos agressivos até mesmo com a própria planta, acarretando o risco de obter mais danos do que benefícios. O tipo de abordagem também pode fazer a diferença: o controle biológico é menos agressivo e estressante para as plantas, embora nem sempre 100% eficaz, principalmente nos casos em que os parasitas são particularmente resistentes ou muito disseminados. O controle biológico é feito prevendo a introdução de insetos que não prejudicam o cultivo, mas eliminam a presença de elementos infestantes: contra os piolhos das plantas, costumamos recorrer a besouros coccinelídeos, hoverflies dípteros e cecidomídeos; crisopídeo neuroptera. Até a presença de alguns pássaros pode ser benéfica para a eliminação dos piolhos das plantas: é o caso, em particular, das andorinhas e chapins, que se alimentam de pequenos pulgões deixando a planta intacta.

Piolhos de plantas: luta química


O controle biológico pode ser eficaz em alguns casos, mas não em todos: se a infestação for muito extensa e os parasitas se mostrarem muito resistentes, é necessário selecionar um produto químico que atenda às necessidades da planta, respeitando sua fragilidade mas eliminando quaisquer parasitas presentes nele. Os produtos no mercado são diferentes e específicos: geralmente é necessário mais de uma aplicação antes que a eficácia real possa ser avaliada. Após o período de tratamento, será necessário observar cuidadosamente a planta ou plantas afetadas, para detectar qualquer persistência de parasitas: neste caso será necessário intervir novamente, de acordo com os métodos recomendados com base no tipo de produto em uso, ter certeza de que todos os espécimes foram eliminados e, portanto, a planta está protegida de uma retomada da colonização. Dependendo do tipo de produto, a administração também pode variar: alguns requerem espalhamento direto na parte aérea da planta, enquanto outros podem ser adicionados diretamente na água da rega: em ambos os casos, deve-se ter cuidado e evitar a proximidade do para animais e crianças, pois são substâncias tóxicas que podem causar graves irritações e intoxicações em humanos.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.