Dicas

Girassol

Introdução

Todos se lembram desta planta esplêndida de a terem admirado, pelo menos uma vez, entre locais abandonados, campos e bermas de estradas. Nas crianças, pois, esta espécie desperta grande curiosidade, devido às suas cores vivas, e ao seu caule altíssimo que emerge do verde dos campos, virando as flores para o sol. Estamos a falar do girassol, planta anual de origens muito antigas, muito apreciada pelos cultivadores e jardineiros. Conhecido pelo seu grande tamanho, o girassol pode desempenhar uma interessante função ornamental tanto na horta como no jardim privado. A planta, de fato, se presta a ser cultivada tanto em vasos quanto em campo aberto. Silvestre ou cultivado, o girassol também é uma espécie que se presta a infinitas utilizações, tanto herbáceas como industriais.

Características


O girassol é uma planta nativa da América do Sul. As origens geográficas exatas desta espécie não são conhecidas, algumas fontes falam do Brasil, outras do Peru ou do México. O certo é que o girassol era cultivado e reverenciado pelas antigas populações sul-americanas, enquanto os “conquistadores” o importavam para a Europa por volta do ano 1500. Pertencente à família das asteraceae, o girassol é uma planta herbácea de ciclo anual. Seu nome botânico completo é Heliantus annuus. Dentro do gênero Heliantus existem mais de 20 mil espécies, anuais e perenes, ainda que o girassol heliantus annuus, como o nome indica, tenha um ciclo de desenvolvimento anual. As variedades anuais são cerca de cem. O nome da planta deriva de “helios” que significa “flor” e de “anthos” que significa “flor”. Os dois termos gregos referem-se à característica da flor do girassol de sempre seguir a direção do sol. Essa peculiaridade também é chamada de heliotropismo. Na verdade, o que todos conhecemos como flor do girassol, e que deveria seguir a direção solar, é uma cabeça de flor formada por várias flores distribuídas tanto na parte central (o disco) quanto na parte externa (os raios). As flores do disco têm a cor marrom, enquanto as dos raios, que aparecem em forma de pétalas, variam do amarelo dourado ao amarelo intenso e ao laranja. Tanto as flores discais quanto as externas possuem uma estrutura vegetal conhecida como corola. Nas flores externas a corola é estreita e lanceolada e é precisamente ela que dá forma de raios às pétalas, enquanto na parte do disco é formada por túbulos dentados. As flores do disco são bissexuais, enquanto as externas são estéreis. O girassol também tem uma haste longa ou haste com um diâmetro bastante grosso, até dez centímetros. O caule atinge uma altura de dois metros, mas em algumas espécies pode ultrapassar abundantemente até quatro metros. As folhas do girassol são grandes, ovais, ligeiramente lanceoladas e dispostas na parte inferior e oposta do caule. A partir da maturação das flores do disco, formam-se sementes, que possuem cores variáveis, do branco ao amarelo e preto. As partes redondas e escuras, que todos conhecemos como sementes, são, por outro lado, os frutos do girassol, ou aquênios que contêm as sementes. O caule atinge uma altura de dois metros, mas em algumas espécies pode ultrapassar abundantemente até quatro metros. As folhas do girassol são grandes, ovais, ligeiramente lanceoladas e dispostas na parte inferior e oposta do caule. A partir da maturação das flores do disco, formam-se sementes, que possuem cores variáveis, do branco ao amarelo e preto. As partes redondas e escuras, que todos conhecemos como sementes, são, por outro lado, os frutos do girassol, ou aquênios que contêm as sementes. O caule atinge uma altura de dois metros, mas em algumas espécies pode ultrapassar abundantemente até quatro metros. As folhas do girassol são grandes, ovais, ligeiramente lanceoladas e dispostas na parte inferior e oposta do caule. A partir da maturação das flores do disco, formam-se sementes, que possuem cores variáveis, do branco ao amarelo e preto. As partes redondas e escuras, que todos conhecemos como sementes, são, por outro lado, os frutos do girassol, ou aquênios que contêm as sementes.

Variedade


São conhecidas diferentes variedades de girassol, algumas híbridas e outras naturais. Entre estes, lembramos o heliantus decapetalus, o heliantus tuberosus, o heliantus multiflorus e o heliantus pauciflorus. O primeiro tem uma flor menor do que o heliantus anuus. Presente no Piemonte, também é chamado de girassol simples. O girassol duplo é, por outro lado, o heliantus multiflorus. Esta variedade possui muitas flores radiais no exterior e está presente no Friuli. Helantus tuberosus é semelhante ao heliantus annuus ou girassol comum. É chamado de girassol do Canadá, mas está presente em qualquer parte da Itália. Heliantus pauciflorus também é chamado de girassol selvagem. Espécie perene com folhas lanceoladas, é facilmente encontrada nas ilhas do sul da Itália. Os híbridos de girassol são criados e estudados em laboratório para a obtenção de plantas com características diferentes das originais. Em laboratório, foram obtidos híbridos que crescem em solos moles e arenosos, quando o girassol comum costuma crescer em solos compactos e argilosos. Entre os híbridos mais famosos, podemos citar heliantus deserticola, heliantus anomalus e heliantus paradoxus. Também deve ser lembrado que muitas sementes de girassol são obtidas de híbridos geneticamente modificados. O girassol com a cabeça voltada para o sol também pode atuar como uma praga para muitas culturas, como a soja. Por esta razão, os produtores preferem variedades com a cabeça voltada para baixo e com um ciclo vegetativo menos incômodo. Em laboratório, foram obtidos híbridos que crescem em solos moles e arenosos, quando o girassol comum costuma crescer em solos compactos e argilosos. Entre os híbridos mais famosos, podemos citar heliantus deserticola, heliantus anomalus e heliantus paradoxus. Também deve ser lembrado que muitas sementes de girassol são obtidas de híbridos geneticamente modificados. O girassol com a cabeça voltada para o sol também pode atuar como uma praga para muitas culturas, como a soja. Por esta razão, os produtores preferem variedades com a cabeça voltada para baixo e com um ciclo vegetativo menos incômodo. Em laboratório, foram obtidos híbridos que crescem em solos moles e arenosos, quando o girassol comum costuma crescer em solos compactos e argilosos. Entre os híbridos mais famosos, podemos citar heliantus deserticola, heliantus anomalus e heliantus paradoxus. Também deve ser lembrado que muitas sementes de girassol são obtidas de híbridos geneticamente modificados. O girassol com a cabeça voltada para o sol também pode atuar como uma praga para muitas culturas, como a soja. Por esta razão, os produtores preferem variedades com a cabeça voltada para baixo e com um ciclo vegetativo menos incômodo. Também deve ser lembrado que muitas sementes de girassol são obtidas de híbridos geneticamente modificados. O girassol com a cabeça voltada para o sol também pode atuar como uma praga para muitas culturas, como a soja. Por esta razão, os produtores preferem variedades com a cabeça voltada para baixo e com um ciclo vegetativo menos incômodo. Também deve ser lembrado que muitas sementes de girassol são obtidas de híbridos geneticamente modificados. O girassol com a cabeça voltada para o sol também pode atuar como uma praga para muitas culturas, como a soja. Por esta razão, os produtores preferem variedades com a cabeça voltada para baixo e com um ciclo vegetativo menos incômodo.

Floração e reprodução


O girassol comum floresce de julho a outubro. Sua reprodução ocorre por meio de dois métodos bastante naturais: polinização e dispersão. O primeiro método é conseguido graças ao transporte de pólen por insetos alados, inclusive abelhas, enquanto a dispersão se dá por meio da queda das sementes no solo. Estes, por sua vez, são trazidos de volta à planta graças às formigas.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Mira también
Cerrar