Dicas

Enxerto de parafuso

Introdução

A enxertia é uma prática de cultivo que serve para promover a propagação de muitas espécies de plantas. Nem todas, na verdade, se propagam a partir da semente, para algumas, principalmente as mais suscetíveis a doenças e adversidades externas, pode ser necessário recorrer à enxertia, ou à união de duas partes da planta que sejam semelhantes ou relacionadas entre si. . Muitas plantas precisam ser enxertadas, inclusive árvores frutíferas. Embora não seja exatamente em forma de árvore, há uma planta que se beneficia enormemente com o enxerto. Trata-se da videira, planta lenhosa formada por brotos com ramos, dos quais se obtêm uvas de mesa e para vinho. Muitas castas propagam-se por semente, mas não resistem a algumas doenças a que são particularmente vulneráveis, como a filoxera. Em vinhas enxertadas, no entanto, foi notado essa filoxera desapareceu quase completamente. A enxertia da videira responde, portanto, a uma dupla exigência: favorecer a propagação da planta e dar vida a uma nova espécie mais resistente às adversidades e às doenças.

Parafusos para enxertar


Na natureza existem diferentes variedades de videiras e nem todas precisam ser enxertadas. Na verdade, a enxertia deve ser realizada apenas em vinhas nascidas da semente, enquanto as nascidas de enxertos anteriores não precisam de ser enxertadas. É necessário enxertar a videira selvagem, de onde derivam as castas mais conhecidas, nomeadamente a europeia e a americana. A enxertia deve ser realizada entre espécies semelhantes, sob pena não só de quebra do enxerto, mas também da morte da planta. A videira canadense, uma planta trepadeira cultivada apenas para fins ornamentais, não deve ser enxertada. Este parafuso também não deve ser usado como porta-enxerto. Na verdade, seria um erro enxertar uma videira europeia ou americana em uma videira canadense.

Tipos de enxerto

Diferentes tipos de enxertos podem ser praticados na videira. Tudo dependerá da sua experiência e habilidade. Os enxertos mais comuns para a videira são os enxertos de fendilhação e de borbulhas, mas também podem ser realizadas diferentes variantes dos referidos enxertos, como enxerto em farpa, frasco, estrela, triângulo, ponte e maiorquino.

» title=»Enxerto dividido

– «>

A enxertia fracionada da videira é praticada em plantas adultas, utilizando um dos ramos mais vigorosos do porta-enxerto, sobre o qual será aplicada uma ou mais mudas, ou ramos com botões retirados da videira para serem enxertados (parte a ser enxertado). O enxerto pode ser de divisão simples ou dupla. No primeiro caso será feito um corte na parte torta de um galho lenhoso do porta-enxerto, no qual será inserida apenas uma copa, no segundo será feito um corte que cruzará todo o diâmetro do tronco do porta-enxerto. , onde dois ou mais descendentes serão inseridos nas laterais. As mudas são retiradas dos restos de poda de inverno, atividade durante a qual são retirados ramos com botões. Antes do enxerto, é necessário verificar se as mudas estão saudáveis ​​e em bom estado e se não apresentam lesões ou sinais de doenças ou depósitos de ovos por parasitas. Após a verificação, os rebentos devem ser tratados com turfa úmida e pulverizados com fungicida por precaução. No período anterior à enxertia, as mesmas mudas devem ser mantidas em um saco de papel para pão e colocadas em local fresco e seco. A vedação do enxerto dividido deve ser garantida com papel adesivo ou mastique. Se a divisão for praticada nos rebentos mais novos da videira (enxertia herbácea) e para evitar que o vento dobre muito os ramos, pode-se recorrer ao atamento de toda a planta com cordões. Uma variante do enxerto dividido é o enxerto em farpa, em que o rebento é inserido em uma ferida lateral do porta-enxerto. Após a verificação, os rebentos devem ser tratados com turfa úmida e pulverizados com fungicida por precaução. No período anterior à enxertia, as mesmas mudas devem ser mantidas em um saco de papel para pão e colocadas em local fresco e seco. A vedação do enxerto dividido deve ser garantida com papel adesivo ou mastique. Se a divisão for praticada nos rebentos mais novos da videira (enxertia herbácea) e para evitar que o vento dobre muito os ramos, pode-se recorrer ao atamento de toda a planta com cordões. Uma variante do enxerto dividido é o enxerto em farpa, em que o rebento é inserido em uma ferida lateral do porta-enxerto. Após a verificação, os rebentos devem ser tratados com turfa úmida e pulverizados com fungicida por precaução. No período anterior à enxertia, as mesmas mudas devem ser mantidas em um saco de papel para pão e colocadas em local fresco e seco. A vedação do enxerto dividido deve ser garantida com papel adesivo ou mastique. Se a divisão for praticada nos rebentos mais novos da videira (enxertia herbácea) e para evitar que o vento dobre muito os ramos, pode-se recorrer ao atamento de toda a planta com cordões. Uma variante do enxerto dividido é o enxerto em farpa, em que o rebento é inserido em uma ferida lateral do porta-enxerto. as mesmas tiras devem ser guardadas em um saco de papel para pão e colocado em local fresco e seco. A vedação do enxerto dividido deve ser garantida com papel adesivo ou mastique. Se a divisão for praticada nos rebentos mais novos da videira (enxertia herbácea) e para evitar que o vento dobre muito os ramos, pode-se recorrer ao atamento de toda a planta com cordões. Uma variante do enxerto dividido é o enxerto em farpa, em que o rebento é inserido em uma ferida lateral do porta-enxerto. as mesmas tiras devem ser guardadas em um saco de papel para pão e colocado em local fresco e seco. A vedação do enxerto dividido deve ser garantida com papel adesivo ou mastique. Se a divisão for praticada nos rebentos mais novos da videira (enxertia herbácea) e para evitar que o vento dobre muito os ramos, pode-se recorrer ao atamento de toda a planta com cordões. Uma variante do enxerto dividido é o enxerto em farpa, em que o rebento é inserido em uma ferida lateral do porta-enxerto. toda a planta pode ser amarrada com cordões. Uma variante do enxerto dividido é o enxerto em farpa, em que o rebento é inserido em uma ferida lateral do porta-enxerto. toda a planta pode ser amarrada com cordões. Uma variante do enxerto dividido é o enxerto em farpa, em que o rebento é inserido em uma ferida lateral do porta-enxerto.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.