Dicas

Estrela

Plantas decorativas

As funções que as espécies vegetais podem ter para nós, seres humanos, são muitas e variadas, desde a decoração dos nossos apartamentos e jardins até à de um presente significativo capaz de transmitir uma mensagem e muitas outras emoções. Digamos que esta última função é bastante importante, mas também exigente, de fato por exemplo, é usada para presentes em ocasiões importantes, como no amor ou mesmo outras situações onde as palavras nunca podem realmente expressar corretamente o que sentimos por dentro, por isso contamos com grande poder comunicativo das plantas (neste caso, principalmente das flores). Mas o uso mais comum das plantas é certamente o decorativo: todo lugar natural, mesmo que seja descuidado, se tiver plantas será sempre fascinante e bonito de se ver, ainda que se trate de um pequeno barranco entre as rochas ou se for uma cabana em ruínas «comida» pela vegetação. Todas as plantas sempre conseguem dar ordem, harmonia, cor, perfume, portanto ficar bonitas e tornar belos todos os lugares onde estão localizadas. É por isso que as plantas decorativas são tão difundidas, sobretudo em locais estratégicos das nossas casas e nos jardins privados, porque não há melhor forma de dar vida e beleza a determinados ambientes, aliando simplicidade, naturalidade e economia.

Plantas perenes


Todos nós sabemos que, tanto quando plantamos uma planta no jardim, como quando colocamos um lindo vaso dentro de nossa casa, a manutenção e os cuidados contínuos são necessários, pois sem eles o resultado que almejamos durará muito pouco. O fato é que às vezes o nosso cuidado não chega, pois a natureza tem seus mecanismos e muitas das plantas mais lindas e mais queridas para povoar jardins e outros lugares são infelizmente do tipo “plantas anuais”, ou seja, plantas cujo ciclo de vida se esgota. muito rapidamente (em comparação com a nossa dinâmica temporal), durando cerca de oito ou nove meses, que se torna um ano se incluirmos a “pausa” de inverno do repouso vegetativo. Felizmente, a natureza é algo muito variado, e também existem menos do que plantas anuais, mas acima de tudo existem perenes: são plantas que, graças a várias técnicas, conseguem não morrer e têm de ser replantadas todos os anos, quer porque são grandes e fortes e resistem inveteradas (carvalhos, pinheiros, abetos, grandes árvores frutíferas), quer porque conseguem sair suas raízes vivem e soterram, praticamente dando à luz a cada ano um novo corpo externo com as mesmas raízes. Esta última solução evita certamente que haja plantas mesmo no inverno, mas pelo menos evita o cansativo e caro trabalho de replantio todos os anos.

Estrela

No grande grupo de plantas perenes existem algumas que são muito apreciadas pelos entusiastas da jardinagem, ou seja, aqueles que amam o seu jardim e que têm como hobby cuidar e manter este importante espaço da sua casa saudável e arrumado. Uma delas é certamente o Astro, planta herbácea-arbustiva que possui uma inflorescência com uma gama cromática muito bonita e variada, que combinada com a forma simples mas intrigante das flores, consegue decorar bem muitos jardins, adaptando-se a todas as plantas. que fica ao lado dele. O nome científico desta planta é «aster», uma palavra grega que significa «em forma de estrela» e que lembra perfeitamente a forma da flor, semelhante à da margarida e da gérbera em geral, mas com um menor número de pétalas,

Cuidado com a estrela

A planta astro, para garantir que renasça sempre bonita e colorida a cada ano, tem um rizoma muito forte logo abaixo da superfície do solo; o rizoma é como uma grande raiz central única, semelhante a uma cenoura, mas mais macia e de formato menos reto. Bem, é o que mantém a planta viva ano após ano, porque a parte externa do espécime (portanto caule, folhas, flores) seca e morre com a aproximação da estação fria, então externamente parece que a planta está morta. Em vez disso, sob a superfície do solo a planta está viva e continua a pulsar seiva, explorando os nutrientes acumulados (é uma das funções do rizoma) para chegar na primavera seguinte quando renascerá e viverá, com um talo de dimensões importantes (até um metro para espécies europeias, até três metros de altura para espécies norte-americanas) que suportam folhas alternadas, com uma ou pelo menos algumas flores no ápice, caracterizadas por um tamanho bastante grande (têm formato circular, portanto com diâmetro não desprezível) e por uma parte central amarela evidente que abriga os órgãos reprodutivos de toda a planta. Na realidade, a estrela também possui frutos, ou pequenos “pontinhos” amarelos recobertos de pêlos cuja função principal é a inseminação em outros lugares. portanto, com um diâmetro não desprezível) e uma parte central amarela evidente que abriga os órgãos reprodutivos de toda a planta. Na realidade, a estrela também possui frutos, ou pequenos “pontinhos” amarelos recobertos de pêlos cuja função principal é a inseminação em outros lugares. portanto, com um diâmetro não desprezível) e uma parte central amarela evidente que abriga os órgãos reprodutivos de toda a planta. Na realidade, a estrela também possui frutos, ou pequenos “pontinhos” amarelos recobertos de pêlos cuja função principal é a inseminação em outros lugares.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.