Dicas

Esconde-esconde

Jogos de jardim

O jardim, o pátio, um parque ou uma vivenda sempre foram espaços abertos onde as crianças podem brincar e divertir-se. É o local ideal para as crianças, uma vez que nem todos os jogos podem ser jogados dentro de um apartamento. Em um amplo espaço aberto, os mais pequenos têm liberdade para correr, pular e se divertir como quiserem. Obviamente, mesmo em espaços como este tem que explicar às crianças que existem limites, aliás é sempre melhor que sejam supervisionadas pela presença de um adulto. Um dos jogos mais famosos jogados no jardim ou em qualquer parque é esconde-esconde. O esconde-esconde é uma brincadeira bastante conhecida e difundida pelo fato de estimular nas crianças a capacidade de autodefesa e socialização. Consiste em regras bastante simples que podem ser compreendidas por crianças mais velhas e mais novas. Para jogar este jogo é necessária a participação de mais crianças, mesmo de um grupo grande, para que se divirtam mais. A melhor época para brincar de esconde-esconde é definitivamente a primavera e o verão, período em que as crianças e os jovens estão mais propensos a sair de casa devido às condições climáticas.

Esconde-esconde: como jogar?


Uma vez formado o pequeno grupo de crianças, se algum participante não conhecer as regras do jogo, um adulto ou a própria criança terá que explicá-las antes de começar. Esclarecido isso, procedemos fazendo um toque para quem terá que ir “abaixo”. O cego (aquele que conta) deverá tapar os olhos com as mãos e olhar para uma parede para não espiar os movimentos dos outros componentes. O cego vai contar até 20 em voz alta, nesse tempo as demais crianças têm como procurar um lugar para se esconder. Assim que a contagem terminar, cego, ele se virará e começará a procurar seus companheiros. O propósito das crianças escondidas não é ser encontrado, mas sim libertar-se, sem serem vistas pelos cegos, e correr para o lugar do conde chamado “covil”. O objetivo do cego é descobrir os esconderijos dos participantes evitando deixá-los chegar ao covil. A duração do jogo é baseada no número de participantes, aliás o jogo termina quando todas as crianças forem descobertas ou tenham chegado à toca, para se divertir mais o ideal é escolher um local diferente a cada vez. Desta forma, os participantes têm a oportunidade de descobrir novos locais para se esconder e divertir-se sempre como se fosse uma novidade. O adulto que supervisionará as crianças, neste caso, não só poderá evitar que os participantes se deparem com perigos, mas poderá ajudar as crianças a conviverem melhor, principalmente ajudando os mais tímidos em dificuldade. A duração do jogo é baseada no número de participantes, aliás o jogo termina quando todas as crianças forem descobertas ou tenham chegado à toca, para se divertir mais o ideal é escolher um local diferente a cada vez. Desta forma, os participantes têm a oportunidade de descobrir novos locais para se esconder e divertir-se sempre como se fosse uma novidade. O adulto que supervisionará as crianças, neste caso, não só poderá evitar que os participantes se deparem com perigos, mas poderá ajudar as crianças a conviverem melhor, principalmente ajudando os mais tímidos em dificuldade. A duração do jogo é baseada no número de participantes, aliás o jogo termina quando todas as crianças forem descobertas ou tenham chegado à toca, para se divertir mais o ideal é escolher um local diferente a cada vez. Desta forma, os participantes têm a oportunidade de descobrir novos locais para se esconder e divertir-se sempre como se fosse uma novidade. O adulto que supervisionará as crianças, neste caso, não só poderá evitar que os participantes se deparem com perigos, mas poderá ajudar as crianças a conviverem melhor, principalmente ajudando os mais tímidos em dificuldade. o ideal é escolher cada vez um local diferente do anterior. Desta forma, os participantes têm a oportunidade de descobrir novos locais para se esconder e divertir-se sempre como se fosse uma novidade. O adulto que supervisionará as crianças, neste caso, não só poderá evitar que os participantes se deparem com perigos, mas poderá ajudar as crianças a conviverem melhor, principalmente ajudando os mais tímidos em dificuldade. o ideal é escolher cada vez um local diferente do anterior. Desta forma, os participantes têm a oportunidade de descobrir novos locais para se esconder e divertir-se sempre como se fosse uma novidade. O adulto que supervisionará as crianças, neste caso, não só poderá evitar que os participantes se deparem com perigos, mas poderá ajudar as crianças a conviverem melhor, principalmente ajudando os mais tímidos em dificuldade.

História do jogo

Esconde-esconde não é um jogo moderno ou inventado recentemente, mas é um jogo com origens antigas. Representa a variante do jogo “esconde-esconde”, era jogado tanto por crianças como por adultos. Para ser mais preciso, este jogo tem origens ligadas à nobreza do século XVIII. Naquela época, os grupos de aristocratas, formados por homens e mulheres, brincavam de se esconder apenas para serem encontrados pelo que poderia ser seu amante ou namorada. Eles se escondiam em quase todos os lugares, nos jardins, nos saguões e nos quartos das grandes vilas que possuíam. As regras do jogo são as mesmas, o que mudou foi o motivo pelo qual homens e mulheres participaram desse jogo. Esconde-esconde representou uma forma de socialização entre homens e mulheres que participaram, o objetivo era posteriormente estabelecer uma relação de amor. O espaço utilizado para este jogo tinha que ser muito grande devido ao grande número de participantes, foi necessário encontrar vários locais que pudessem servir de esconderijo.

Variantes

Como qualquer tipo de jogo, este também possui variações que variam de acordo com o local (entendido como o país) em que é disputado e as pessoas que participam. Em algumas variantes, por exemplo, o jogador que é descoberto é eliminado do jogo, em outras há a possibilidade de salvar todos os jogadores, independentemente de terem sido descobertos ou terem chegado ao covil sozinhos, o importante é que o o último dos participantes, ao chegar à sala, grita “31 salve todos”. Em outras variantes, entretanto, o primeiro participante a ser descoberto é aquele que fará o papel da pessoa cega. No início do jogo o cego, em algumas variações, é escolhido dando um toque em outras, em vez disso procedemos em ordem alfabética para que todos tenham a oportunidade de fazer a contagem. Em relação à duração da contagem, mesmo que possa variar com base nas personalizações ou no número de participantes. Normalmente a contagem sobe para 20 mas se os participantes forem muitos e demorar mais para procurar lugares, pode ser ampliada para 30. Em algumas variantes também é possível usar uma bola, esta é rebatida e atirada o mais longe quanto possível, a fim de dar uma oportunidade adicional aos jogadores descobertos de se libertarem.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *