Dicas

Clematis

Introdução

É uma planta cultivada exclusivamente pela beleza das suas flores e pelo seu hábito de trepar. Existem também variedades herbáceas desta espécie, mas as mais conhecidas e as trepadeiras são utilizadas para decorar pérgulas, latadas e sombreamento de algumas zonas do jardim. O efeito de sombreamento, sobretudo no verão, aliado à variedade de flores coloridas e ao agradável perfume que exalam, tornam esta planta particularmente apreciada pelos jardineiros. Estamos a falar da clematite, espécie perene de hábito arbustivo e trepador, conhecida desde a Idade Média. Hoje também são numerosos os híbridos de clematis, que permitem ter grupos de trepadeiras e espécies herbáceas de cores vivas e brilhantes, excelentes para a decoração de sebes, canteiros de flores e jardins de pedras. Com oclematis você pode decorar espaços ocupados por jardins de rosas ou hera. Pelo seu hábito trepador, pelas cores e pelo formato das flores, a clematis nada tem a invejar às restantes espécies decorativas, sem prejuízo da possibilidade de escolher sempre a espécie que mais se adapta ao seu gosto e às condições climáticas em que surge. jardim.

Características


Clematis, como já foi mencionado no parágrafo introdutório, é uma planta perene com hábito tanto trepador quanto herbáceo. É uma espécie nativa dos climas temperados frios da América, China, Europa e Sibéria, que inclui cerca de duzentos e cinquenta espécies diferentes, incluindo espécies espontâneas e variedades híbridas. Algumas das variedades existentes na natureza crescem espontaneamente em diferentes áreas da Itália. Clematis pertence ao gênero Clemantis e à família Ranuncolaceae. Seu nome deriva das palavras gregas «klema» e «atos», que juntas significam «ramo de videira». Devido ao formato dos frutos e outras características, esta planta tem sido freqüentemente assimilada à anêmona e pulsatilla, plantas pertencentes a diferentes gêneros, mas que apresentam muitas semelhanças com as clematis. Este último é cultivado para fins puramente ornamentais e por suas flores abundantes e exuberantes. A planta inclui espécies semierbáceas com hábito trepador e caule lenhoso e espécies arbustivas com caules herbáceos. O caule desta espécie pode atingir uma altura máxima de dez metros. As raízes da clematis são uniformes e não ramificadas. Às vezes, eles podem ter sugadores de onde nascem novas plantas. As folhas são ovais, lanceoladas, opostas e pecioladas, enquanto as flores, representadas por uma inflorescência única ou reunidas em corimbos axilares, apresentam quatro sépalas, semelhantes a pétalas, em forma de cálice e sem corola. Essas sépalas intensamente coloridas servem para proteger o sistema reprodutivo da clematite e para atrair insetos polinizadores. As pétalas da planta são, por outro lado, derivada da modificação dos estames que se elevam da parte central da inflorescência. As flores da clematis são bissexuais, perfumadas e produzem néctar. Os frutos, por outro lado, são aquênios que se desenvolvem após a floração e contêm uma única semente de aspecto plumoso. Esse recurso torna a clematite muito semelhante à anêmona.

Variedade


Como já foi mencionado nos parágrafos anteriores, existem inúmeras variedades de clematis, cerca de 250, ainda que a partir de outras classificações botânicas tenham sido identificadas mais de 300 espécies, das quais sete se espalharam espontaneamente na Itália. Além das variedades naturais, existem também numerosos híbridos obtidos a partir de cruzamentos com variedades existentes. Entre as espécies naturais mais conhecidas e com hábito escalador, lembramos as clematis: alpina, armandii, chrysocoma, fargesii, lanuginosa, flammula, vitalba e macropetala. Entre as variedades híbridas, podemos citar o clematis jackmanii e o teksa. A clematite alpina é nativa do centro-sul da Europa e do norte da Ásia. Possui variedades com flores brancas e rosa e caule entre três e cinco metros de altura. Clematis armandii é nativa da China e tem flores brancas e um caule de dez metros de altura. Também chinesa é a variedade crisocoma, com caule menor (três metros) e flores brancas. Outra variedade da China, a clematis fargesii, com flores de um branco puro e haste de seis metros de altura. Clematis lanuginosa apresenta variedades com flores de cores diferentes, do azul ao rosa. O caule atinge uma altura máxima de dois metros. Nativa do sul da Europa é a clematis flammula, que tem um caule de três metros de altura e flores brancas muito perfumadas. Também europeia é a famosa clematis Vitalba, sobretudo de caule muito alto, que às vezes chega a atingir os doze metros, e com flores cor de marfim. Clematis macropetala é nativa da China e da Sibéria. Possui caule com cerca de quatro metros de altura e variedades com flores azuis e rosa.

Reprodução e floração


A reprodução da clematis ocorre por disseminação e polinização por insetos. A disseminação é feita pelo estilo penas da fruta, que libera penas com o vento. A polinização ocorre, por outro lado, pelas abelhas, que aproveitam o néctar produzido pelas flores da planta. A floração das clematis é extremamente variável, dado o elevado número de espécies, embora na maioria delas se concentre entre maio e junho. A clematis alpina floresce, por exemplo, entre março e maio, enquanto a clematis vitalba, entre julho e setembro.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar