Dicas

Visita ao Jardim do Batan. Um jardim urbano formidável

Muito bom para todos os Agrohuerters. Hoje venho apresentar-lhes o último jardim que minha companheira Sandra e eu visitamos , o jardim Batán, localizado entre o Paseo de Extremadura e a rua Alverja, que faz parte dos pomares do distrito de Latina .

Esta horta nasceu em 2012 através de uma iniciativa de bairro que, depois de uma longa luta com a Câmara Municipal, acabou por regularizar o novo regulamento sobre hortas urbanas na comunidade de Madrid. Atualmente faz parte do RedMad e eles têm um daqueles terrenos que a Câmara Municipal deu há pouco tempo, para o qual reservaram uma infinidade de projetos interessantes … Bem, como eu sempre vou me concentrar em dizer a vocês como nossa visita foi:

Visita ao jardim de Batán

Fomos à horta do Batán no dia 15 de março, já que esse grupo costuma se reunir lá tanto às quartas quanto aos domingos, cheguei um pouco antes de Sandra como aconteceu comigo na visita à roça de cevada, mas rapidamente consegui conversar com Irene , uma das pessoas encarregadas do jardim, sobre uma infinidade de questões e preocupações.

A verdade é que é um grupo muito amigável e aberto, todos os membros sabiam previamente que íamos fazer a reportagem naquele dia então ninguém foi apanhado de surpresa, como já aconteceu connosco noutras ocasiões, e o tratamento foi muito próximos e amigáveis ​​Apesar de ser como sempre filmando tarefas do dia a dia, já disse que nem todo mundo gostou disso.

Por causa das datas de semeadura que eram, nós os pegamos colhendo parte do jardim de inverno e semeando parte da safra de primavera, a safra de inverno era composta principalmente de favas, alface , couve, repolho, couve de Bruxelas, etc. Outros terraços ainda tinham espécies a serem coletadas, como as formadas por ervilhaca, titarro e trigo que depois serão secas para fazer adubo verde .

Se bem me lembro, na parte antiga do pomar (aquela que existe desde 2012) eles têm cerca de 5 áreas de terraços distribuídas em 5 grupos dependendo da rotação de culturas que eles propõem a cada ano, então eles têm um muito trabalho a fazer e muito mais agora. com a nova parte do pomar (a que foi concedida pela Câmara Municipal em 2014). Esta nova área está sendo estudada com muito cuidado pelos membros do pomar e especialistas em permacultura como Lucho IglesiasPara transformá-la em uma floresta comestível, eles já deram cursos sobre isso com uma recepção muito boa. Falaremos sobre florestas comestíveis em outro artigo porque é um assunto muito interessante, mas se você quiser abrir a boca deixo a explicação do Lucho sobre o que são florestas comestíveis e de passagem você dá uma olhada no blog do jardim mais completo para conheça mais sua história ano após ano: Blog del Huerto de Batán

O objetivo do jardim no futuro

Como já falamos, o pomar agora tem um novo espaço extra para planejar e trabalhar além da terra que eles vinham administrando, mantendo e cuidando por 3 anos, portanto, seu objetivo atual de curto a médio prazo é ser mais perene. Para isso, eles seguirão diferentes técnicas permaculturais como a semeadura de espécies perenes e vivas (como açafrão, morangos etc …) e deixarão alguns terraços permanentes com o plantio de espécies autossemeadoras como espinafre neozelandês e borragem.

Estas técnicas têm a vantagem de poder ter a mesma colheita na cama no ano seguinte, poupando assim a nova semente, o trabalho de preparação da cama, etc. Para o grupo de pessoas que administra um jardim, é difícil saber quantos membros se seguirão, quantas novas adições eles terão, etc. E, nesse sentido, contar alguns terraços que você sabe que germinarão ano após ano é uma grande ajuda em tempos difíceis. Além disso, por que não dizer, isso vai economizar para eles um importante trabalho por ano, que todos os membros irão apreciar e será um claro exemplo de como desenvolver algumas técnicas de permacultura.

Em conclusão, durante o ano passado visitamos vários pomares, uns famosos pela localização, outros pela inovação, pelo trabalho social, outros pelas atividades, etc. Mas as hortas do bairro, aquelas que se afastam um pouco do centro da cidade, são famosas pelo seu povo e pela sua gentileza, por planejá-las contra o roubo, por educar as crianças que se aproximam da sustentabilidade e da agricultura através de cultivos específicos para elas, para transformar um lote abandonado em um lugar que vale a pena visitar e dar ao bairro um motivo para se orgulhar da inovação e do apoio da vizinhança. Cuidado, não estou dizendo que em outros pomares não seja assim, mas pessoalmente nesses pomares me foi transmitido muito mais.

Se vive na zona: Batán, Lucero, Aluche, Campamento, Alto de Extremadura etc … Não hesite em vir vê-los, dar uma mão, tocar na terra, conhecer novas culturas e aconselhar sobre qualquer assunto que interesses relacionados a pomares, etc. Eles o receberão como mais um.

Estaremos de volta em breve para ver como vão acontecer as próximas safras, graças aos seus membros, principalmente a Irene por nos contar tantas coisas e nos dar tantas informações.

Saudações

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar