Dicas

Spruce

Principais características

O termo abeto refere-se a algumas espécies de árvores altas, típicas das áreas montanhosas de regiões frias e pertencentes à grande família das Pinaceae. Os mais conhecidos e mais difundidos são o abeto prateado (denominado pinheiro comum) e o abeto, também denominado abeto. Embora pertençam à mesma família, os dois gêneros apresentam diferenças notáveis. Típico e quase exclusivo deste tipo é o Picea excelsa, ou seja, o abeto, assim denominado devido à cor castanho-avermelhada da casca do tronco dos ramos. Esta planta vive em qualquer tipo de solo, mesmo nos ácidos, porém é necessário que sejam bem drenados: na verdade as raízes podem ser afetadas pela presença de estagnação de água. Por isso, só deve ser regado se o solo estiver seco durante o verão.

Cultivo


Mesmo com cerca de cinquenta metros de altura, o abeto tem um porte imponente e esguio; no entanto, seus ramos, horizontais na inserção, então se curvam para cima. As folhas, verdes brilhantes e pontiagudas, cobrem todo o ramo com uma espiral densa. O abeto geralmente não requer poda, mas pode ser necessário realizar algumas intervenções leves para conter o desenvolvimento da copa e ajustar sua aparência. Em qualquer caso, é absolutamente necessário evitar a cobertura, pois do contrário prejudicará o desenvolvimento da planta. É uma espécie robusta e muito resistente que não necessita de cuidados especiais para se desenvolver e crescer sem problemas. Deve-se ter em mente que na natureza o abeto vive em um ambiente claro: se for mantido em um local fechado, com luz insuficiente e temperaturas muito altas, ele se deteriora rapidamente. Por exemplo, as folhas ficam amarelas, secam e caem no chão.

Fertilização


Esta árvore é característica das zonas de alta montanha e desenvolveu a sua forma característica para se adaptar ao local de crescimento. A difusão desta espécie atinge a América do Norte, o Norte da Europa e os Alpes, também graças à sua adaptabilidade: na verdade, resiste ao frio e às altas temperaturas sem apresentar grandes preferências climáticas. Mesmo no que diz respeito à fertilização, o abeto requer poucas intervenções: na verdade, basta colocar uma boa quantidade de esterco maduro na base do espécime na hora do plantio. Desta forma, o desenvolvimento da planta e sua aclimatação são favorecidos. Posteriormente, nos anos seguintes, basta enterrar o adubo orgânico durante o outono ou inverno, que é liberado lentamente ao pé do pinheiro.

Abeto: pragas e doenças


Por ser uma espécie rústica, o abeto geralmente resiste muito bem ao ataque de insetos e parasitas. Possui também uma proteção natural que lhe é conferida pela abundante resina que reveste o caule e pelo alto teor de taninos na casca. Porém, ataques de pulgões lanosos são sempre possíveis, os quais afetam principalmente os brotos jovens e dificultam o correto desenvolvimento da planta. Entre os insetos que podem afetar a espécie estão o besouro da casca e o processionário: o primeiro bota seus ovos dentro do caule e as larvas, ao nascer, se alimentam da seiva da planta, fazendo com que ela morra. A segunda é uma borboleta que se alimenta das folhas do abeto e se reproduz rapidamente. Para combatê-los, ações preventivas devem ser tomadas,

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar