Dicas

Agricultura urbana de acordo com a FAO

A FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) está dando cada vez mais importância à agricultura urbana . O crescimento da população mundial e sua concentração nas cidades, torna necessário buscar soluções que complementem a produção de alimentos, sem a necessidade de transportá-los por longas distâncias.

O que é agricultura urbana e periurbana (AUP)?

A FAO propôs o termo Agricultura Urbana e Periurbana em 1999 para se referir ao cultivo de plantas e pecuária em pequenas áreas como pomares , lotes, margens, terraços …, localizados nas cidades ou no entorno das cidades, para consumo próprio ou venda em mercados locais ou para exploração intensiva / semi-intensiva e posterior comercialização dos produtos.

Este tipo de agricultura fornece uma grande variedade de alimentos de diferentes culturas (grãos, vegetais, frutas …) e animais (pequenos animais: pássaros, coelhos, cabras, porcos, peixes …) e produtos não alimentares: aromáticos plantas, ornamentais ou lenha (silvicultura).

Importância e utilidade da agricultura urbana

Embora a princípio a FAO tenha tentado definir e enriquecer a AUP no âmbito da segurança e suficiência alimentar em países subdesenvolvidos,  e ainda hoje a maior parte do trabalho da FAO se concentra nesses países, a realidade é que este conceito também está se espalhando por muitas cidades em países desenvolvidos, expandindo seus objetivos e propósitos. Alguns deles são:

Segurança alimentar : resposta à crise alimentar das populações urbanas mais desfavorecidas permitindo-lhes ter alimentos frescos e de qualidade.

Saúde e nutrição .

– Sustentabilidade das cidades e meios de subsistência.

-Colaboração na conservação do meio ambiente e recursos.

– Criação de cidades “mais verdes”.

O papel da FAO na agricultura urbana

Já no “Comitê de Agricultura”  realizado em 1999, a FAO dedicou uma sessão à caracterização e problemas da AUP (você pode ver o relatório aqui:  Relatório de Agricultura Urbana e Periurbana ). Nessas sessões, a Organização das Nações Unidas comprometeu-se a incorporar nas suas ações os programas relacionados com a UPA , a apoiar e promover este tipo de agricultura nos Estados-Membros e mesmo a colaborar para o seu desenvolvimento nos países associados.

Nesse sentido, a FAO ainda está lutando para fazer da AUP uma atividade econômica reconhecida  que faça parte dos planos de desenvolvimento agrícola , planejamento urbano e programas de alimentação e nutrição nacionais e locais. Para fazer isso, ele executa várias ações:

– Centenas de programas e projetos técnicos e iniciativas que apóiam a AUP:  Programa Especial de Segurança Alimentar (Propramme Especial para Inocuidade Alimentar)   Programas de Cooperação Descentralizada (Programas de Cooperação Descentralizada), No Jardim Escola para Alimentos e Cidades Alimentares Saudáveis, ou TeleFood .

– Publicação e divulgação de relatórios, manuais e fichas técnicas que enfoquem a importância e os benefícios da UPA, das experiências exitosas realizadas ou que orientem governos e agricultores urbanos para que contribuam de forma adequada para o desenvolvimento desta atividade. Deixo-vos os links para alguns destes documentos:

  • Manual de Referência do Produtor Urbano
  • A agricultura urbana na luta contra a fome e a pobreza
  • Comida para as cidades
  • Com micro-hortas, a população urbana pobre produz o que consome
  • Crie cidades mais verdes
  • Impacto dos produtos de AU na segurança alimentar, na economia e no emprego
  • Garantindo a segurança dos produtos AUP 

– Aconselha governos e administrações a melhorar as políticas e serviços para o AUP.

– Colabora no desenvolvimento do setor de AUP, fornecendo dados e evidências de sua contribuição para a segurança alimentar.

-Organização e participação em reuniões, conferências e seminários técnicos como  Alimentos, Agricultura e Cidades: desafios e caminhos a seguir, realizado em Roma em 2009, no  Seminário Internacional sobre Agricultura Urbana e Periurbana,  em Havana (Cuba) em 2012 ou Feeding Cities, na Filadélfia (EUA) em 2013. 

 

Todos eles estão incluídos no Programa da FAO para a horticultura urbana e periurbana,  que baseia o sucesso do desenvolvimento deste setor na realização de 5 objetivos muito claros:

1. Assegurar o compromisso político e institucional : reconhecimento oficial pelos governos da importância da UPA no desenvolvimento urbano e social.

2. Garantir terra e água suficientes para a horticultura urbana por meio de uma gestão adequada pelas autoridades de planejamento e pela criação de hortas comunitárias urbanas que usam sistemas para o bom uso da água da chuva.

3. Garantir a qualidade dos produtos da horticultura urbana e proteger o meio ambiente.

4. Envolver todas as partes interessadas no setor de AUP : fomentando a associação de horticultores urbanos na mesma área (redução de custos) e facilitando sua vinculação com governos, serviços de extensão e pesquisa, serviços de abastecimento, ONGs, etc.

5. Obter novos mercados para frutas e hortaliças nos países em desenvolvimento, já que em muitos deles seu consumo é muito inferior ao recomendado.

Espero que você tenha achado interessante este artigo sobre a abordagem da FAO para a agricultura urbana . Você pode dar sua opinião deixando um comentário.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *