Dicas

Poda de oliveira

Poda de oliveira

A poda é uma técnica de cultivo que serve para melhorar o crescimento das plantas e sua frutificação. Na verdade, essa técnica é amplamente praticada em árvores frutíferas, tanto ornamentais quanto produtivas. Nem sempre a poda é necessária para todas as plantas, mas em algumas delas, caracterizada por um crescimento muito vigoroso e desordenado, torna-se indispensável, principalmente se se deseja manter a forma correta da planta ou se deseja obter frutos mais saudáveis ​​e fáceis. comercializável. Devido a essas peculiaridades, a poda encontra sua aplicação ideal em plantas arbustivas. Entre as árvores passíveis de poda, encontramos também a oliveira. Este arbusto, originário do Oriente Médio, é hoje amplamente cultivado na Europa, com um histórico produtivo que preocupa a Itália, Espanha e França. A oliveira é cultivada para a produção de seus frutos, ou azeitonas, de onde também é extraído o azeite, que de acordo com o seu grau de pureza e qualidade é classificado como virgem extra ou virgem. A poda, que seleciona as partes produtivas da árvore, eliminando as estéreis ou inúteis, muitas vezes também tem a ver com esses resultados de produção. A oliveira também pode ser cultivada no jardim para fins ornamentais. Também neste caso não será possível prescindir da poda, que acompanhará o crescimento da árvore, condicionando a sua forma e porte. que seleciona as partes produtivas da árvore, eliminando as estéreis ou inúteis. A oliveira também pode ser cultivada no jardim para fins ornamentais. Também neste caso não será possível prescindir da poda, que acompanhará o crescimento da árvore, condicionando a sua forma e porte. que seleciona as partes produtivas da árvore, eliminando as estéreis ou inúteis. A oliveira também pode ser cultivada no jardim para fins ornamentais. Também neste caso não será possível prescindir da poda, que acompanhará o crescimento da árvore, condicionando a sua forma e porte.

Objetivos podando oliveiras


Os principais objetivos da poda da oliveira foram parcialmente relatados no parágrafo anterior e podem ser resumidos simplesmente em dois conceitos: produtivo e ornamental.

A poda para fins produtivos tende a eliminar os ramos secos e inúteis da árvore, a deixar um amplo espaço para aqueles a partir dos quais se desenvolverão as azeitonas.

A poda da oliveira, para fins produtivos, também pode ser utilizada para eliminar alguns ramos produtivos, de forma a favorecer a emissão de novos rebentos. São também muitos os objetivos estéticos da poda da oliveira, que visa retirar ramos que crescem desordenadamente comprometendo a forma da copa.

Muitos ramos excedentes também são eliminados porque impedem a penetração da luz solar nos ramos férteis, que, não realizando a fotossíntese, correm o risco de secar e não produzir frutos. Os ramos grandes que tendem a se cruzar, desfigurando a parte central da copa, ou os ramos externos ou laterais que também se desenvolvem nas oliveiras de jardim ornamental, também são eliminados para fins estéticos.

Esses galhos, continuando a crescer, tenderiam a quebrar e cair até perto do telhado da casa, causando danos mais ou menos graves.

Como podar a oliveira


A poda é uma prática de cultivo que utiliza diversos métodos, incluindo o corte de algumas partes da planta, a movimentação manual dos ramos, a eliminação de brotos, etc.

Na oliveira, a parte mais importante da poda é representada pelos cortes, ou seja, a eliminação ou encurtamento de algumas partes da árvore, principalmente ramos e ramos. Na oliveira, os cortes de eliminação superam os de gordura, também chamados de cortes de retorno.

A maior parte dos cortes da poda da oliveira destina-se à eliminação de ramos grandes, feios e desfigurantes da folhagem, velhos e improdutivos. Na oliveira, os ramos que tendem a alongar-se, as ventosas e as ventosas também devem ser cortados. Os primeiros são ramos improdutivos também chamados de prolongamento, os últimos, que se desenvolvem na parte basal da árvore, são igualmente improdutivos e devem ser cortados.

Os últimos, ou seja, os rebentos, que sempre se desenvolvem na parte basal, podem ser improdutivos apenas no primeiro ano, enquanto em algumas variedades de oliveiras tendem a frutificar a partir do segundo. Portanto, se você quer que esses ramos dêem frutos, é melhor fazer cortes de retorno, ou seja, encurtá-los. Os cortes de retorno também podem ser feitos nos ramos férteis da oliveira, que vão emitir novos rebentos melhorando a floração e a frutificação.

Os cortes da poda da oliveira devem ser feitos identificando exatamente as partes a serem cortadas, de forma a não cometer erros e não eliminar as partes úteis da árvore. Antes de proceder aos cortes, devemos também nos perguntar o motivo da presença de muitos ramos improdutivos, como rebentos e rebentos, que podem indicar um desequilíbrio vegetativo da árvore, causado por erros de cultivo anteriores.

» title=»Tipos de poda de oliveira

– poda de oliveira3.»>


De acordo com a técnica, os objetivos e o tempo em que é realizada, distinguem-se os diferentes tipos de podas. Este conceito também se aplica à oliveira, que pode sofrer podas de plantação, reprodução ou formação, rejuvenescimento, reforma e frutificação.

O sistema de poda é praticado no início do desenvolvimento da planta, ou seja, após um certo lapso de tempo desde a primeira construção da árvore. A poda de criação ou treino ocorre, no entanto, durante o crescimento da planta jovem, para influenciar a forma da copa e todo o hábito da planta. A poda de rejuvenescimento é praticada, porém, nas árvores velhas e normalmente consiste, nos ramos velhos cortados, secos ou improdutivos. A poda de reforma consiste no corte de ramos danificados por adversidades ou doenças, para devolver melhor forma à copa, enquanto a frutificação serve para melhorar a qualidade e quantidade dos frutos.

Todos estes tipos de podas, com exceção da frutificação, que também pode utilizar os cortes de renovação dos ramos mais novos, são realizados através de cortes de eliminação, que conduzem a um desbaste consistente da copa da árvore. A poda de eliminação também pode não ser necessária em plantas mais jovens, especialmente nos primeiros dois anos, embora deva ser praticada em árvores mais maduras. Com base na quantidade de ramos removidos, falamos de podas leves ou pesadas. A poda é leve que não remove mais que 20% da copa da árvore, vice-versa falamos de poda pesada.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.