Dicas

Papavero da oppio

Irrigação

A papoula do ópio, que na maioria dos lugares é cultivada principalmente para fins ornamentais, não requer cuidados excessivos; quanto à irrigação, elas não devem ser freqüentes, mas devem ser feitas a cada 20-25 dias, para que o solo tenha tempo de secar completamente entre uma irrigação e outra. Obviamente, também é necessário regular com base na tendência das chuvas e dar à planta uma quantidade menor de água durante o período de inverno. As estagnações de água, muito prejudiciais ao desenvolvimento e que causam apodrecimento, devem ser absolutamente evitadas: causadas pela umidade excessiva, podem ser evitadas distribuindo correta e racionalmente os recursos hídricos e integrando ao solo materiais como areia ou argila expandida.

Cultivo


Esta planta herbácea prefere solos bem drenados e, possivelmente, com pH neutro ou básico; em geral, entretanto, tolera facilmente condições não bem toleradas por outras espécies, como a aridez e a presença de calcário no solo. Sugere-se misturar o solo com turfa e, como mencionado acima, com materiais que favoreçam a drenagem, incluindo areia. O plantio deve ser realizado durante a primavera ou outono; o cultivo pode ser feito em vasos e no jardim. Neste último caso, é aconselhável praticar a planta depois de ter trabalhado cuidadosamente o solo, de forma a eliminar as ervas daninhas e amolecer os torrões, criando condições óptimas para o crescimento da planta. Os furos devem ser colocados a uma distância de cerca de 50 centímetros um do outro.

Fertilização


Sendo a papoula do ópioespécie com ciclo anual, a fertilização deve ser feita apenas uma vez, no momento da implantação; se esta se completa no outono, recomenda-se um fertilizante pobre em nitrogênio, elemento que favorece o desenvolvimento das partes vegetativas e, portanto, tenderia a enfraquecer a planta em função do inverno. Na primavera, porém, o nitrogênio deve ser balanceado de forma equilibrada com os outros dois macroelementos, potássio e fósforo: o primeiro é essencial para a absorção de nutrientes e para aumentar a resistência ao frio, o segundo garante uma floração exuberante e auxilia o metabolismo. Além disso, microelementos como o ferro, cuja deficiência determina a clorose das folhas, o magnésio e o cobre não devem faltar no fertilizante utilizado.

Papoula do ópio: exposição e doenças


Para a exposição, sugere-se um ponto brilhante, atingido diretamente pelos raios solares; essa planta resiste tanto ao calor quanto ao frio, desde que não sejam excessivos, mas é importante que o ambiente escolhido para o cultivo não seja caracterizado por ventos intensos, fonte de danos. Outro perigo é representado por doenças fúngicas como o oídio: é causado por um clima muito úmido e também é chamado de albugino ou branco ruim, pois se manifesta com um bolor esbranquiçado que tende a cobrir as folhas. Esta doença enfraquece muito a planta e requer produtos fungicidas específicos ou remédios naturais como decocção de rabo de cavalo ou infusão de alho para seu tratamento. Pode ser necessário, para estimular a recuperação do espécime afetado, cortar ou queimar as partes doentes.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.