Dicas

Orquídeas em casa

A espécie de apartamento

As orquídeas estão entre as flores mais apreciadas pelos entusiastas do verde: coloridas e com formas graciosas, essas plantas são oferecidas ao homem em muitas variedades, todas para serem descobertas e todas cheias de charme. Porém, as orquídeas são plantas tão belas quanto delicadas: seu cultivo deve ocorrer em plena conformidade com as necessidades das orquídeas e, em qualquer caso, nem sempre é possível. Em particular, é necessário distinguir entre as diferentes espécies também com base na sua origem: nem todas as orquídeas, na verdade, são plantas exóticas de origens distantes. Na Europa existem muitas espécies nativas que, no entanto, na maioria dos casos são consideradas protegidas, devido à sua delicadeza e baixa difusão: em qualquer caso, não se adaptariam aos ambientes domésticos tanto quanto as orquídeas tropicais, para o qual é mais fácil criar um ambiente fechado que possa protegê-los e fazê-los crescer de forma saudável. O primeiro passo a ser dado para o cultivo de orquídeas em casa, portanto, é identificar uma espécie que possa se adaptar bem a esse tipo de ambiente, informando-se com precisão sobre suas necessidades.

Exposição


Por serem espécies delicadas, as diferentes orquídeas devem ser cultivadas de acordo com suas necessidades específicas, que podem variar consideravelmente de espécime para espécime. Mesmo a posição do vaso ou em qualquer caso da planta dentro de casa deve levar em consideração as diferentes necessidades: um arranjo em local inadequado pode comprometer a floração e até levar à morte da própria planta. Entre os elementos mais importantes a se levar em consideração está a exposição ao sol: as orquídeas são, nesse sentido, muito delicadas e a exposição incorreta pode causar danos graves à planta. As orquídeas expostas a muita luz podem ter flores queimadas e transitórias, enquanto as orquídeas expostas a pouca luz podem nem florescer. Portanto, não há uma fórmula universal válida, mas você terá que avaliar o arranjo das flores em locais mais ou menos claros, sombreados ou semi-sombreados com base na variedade a ser cultivada. De qualquer forma, em geral, deve-se lembrar que as orquídeas tropicais costumam viver expostas a muita luz, mas nunca direta: também é melhor evitar a proximidade de correntes de ar e fontes de calor, que prejudicariam a planta. As posições ideais são, portanto, perto das janelas, em quartos bem iluminados, mas sem raios diretos incidindo sobre a planta e sem correntes de ar ou radiadores por perto. convém lembrar que as orquídeas tropicais costumam viver expostas a muita luz, mas nunca direta: também é melhor evitar a proximidade de correntes de ar e fontes de calor, que prejudicariam a planta. As posições ideais são, portanto, perto das janelas, em quartos bem iluminados, mas sem raios diretos incidindo sobre a planta e sem correntes de ar ou radiadores por perto. convém lembrar que as orquídeas tropicais costumam viver expostas a muita luz, mas nunca direta: também é melhor evitar a proximidade de correntes de ar e fontes de calor, que prejudicariam a planta. As posições ideais são, portanto, perto das janelas, em quartos bem iluminados, mas sem raios diretos incidindo sobre a planta e sem correntes de ar ou radiadores por perto.

Cultivo


Uma vez que você tenha encontrado um local cuidadosamente protegido, mas suficientemente claro para a orquídea florescer e crescer, você terá que dar à planta todas as outras atenções periódicas ou diárias necessárias. Outro elemento a ser levado em consideração é a quantidade de água e a frequência com que rega: a orquídea tem necessidades muito específicas que devem ser atendidas para não comprometer a saúde da planta. Também neste caso, a orquídea terá necessidades diferentes dependendo da espécie escolhida, embora seja possível identificar diretrizes gerais que unem a maioria das espécies. As orquídeas tropicais são plantas geralmente acostumadas a pouca água e chuvas frequentes, portanto, será bom tentar seguir estas orientações para regar. Melhor regar com mais frequência, mas tomando cuidado para não exagerar na quantidade de água usada de vez em quando: assim o solo pode sempre ser mantido úmido, mas evita-se a estagnação da água que pode prejudicar as raízes comprometendo a boa saúde da orquídea. A uma boa rega deve ser adicionada uma elevada humidade ambiental, que também pode ser obtida pulverizando-se a parte aérea da planta. Durante o período de floração, para favorecer o desenvolvimento de muitas flores, o solo que hospeda a orquídea pode ser enriquecido com fertilizante, talvez líquido, para ser borrifado com a água de rega, regularmente. desta forma o solo pode sempre ser mantido úmido, mas evita-se a estagnação da água que pode danificar as raízes, comprometendo a boa saúde da orquídea. A uma boa rega deve ser adicionada uma elevada humidade ambiental, que também pode ser obtida pulverizando-se a parte aérea da planta. Durante o período de floração, para favorecer o desenvolvimento de muitas flores, o solo que hospeda a orquídea pode ser enriquecido com fertilizante, talvez líquido, para ser borrifado com a água de rega, regularmente. desta forma o solo pode sempre ser mantido úmido, mas evita-se a estagnação da água que pode danificar as raízes, comprometendo a boa saúde da orquídea. A uma boa rega deve ser adicionada uma elevada humidade ambiental, que também pode ser obtida pulverizando-se a parte aérea da planta. Durante o período de floração, para favorecer o desenvolvimento de muitas flores, o solo que hospeda a orquídea pode ser enriquecido com fertilizante, talvez líquido, para ser borrifado com a água de rega, regularmente.

Orquídeas em casa: doenças e pragas


As orquídeas não são apenas sensíveis às condições ambientais, mas também ao ataque de parasitas e fungos, dos quais não estão isentas, mesmo que sejam cultivadas em ambientes internos e protegidos. Entre os parasitas, os principais inimigos das orquídeas são os pulgões e a cochonilha: ambos podem ser reconhecidos pelo aparecimento, nas folhas, de pequenas manchas marrons ou necróticas. Se as manchas forem escuras, você também pode se deparar com a presença do ácaro vermelho, embora um pouco menos comum em orquídeas. Se as folhas tiverem manchas maiores, começam a amarelar e cair, os problemas podem estar relacionados à presença de doenças fúngicas, mas também a erros de cultivo. Em caso de ataque de parasitas e fungos, será necessário intervir com pesticidas e antifúngicos específicos, que pode ser suficientemente agressivo com pragas sem entretanto danificar a delicada orquídea. O importante é que cada espécime seja retirado, para evitar a retomada da colonização. Se, por outro lado, as folhas começarem a ficar feias ou a floração falhar, as condições de cultivo podem estar erradas e, consequentemente, pode ser necessário intervir alterando os hábitos de cultivo, para favorecer a recuperação da planta. Folhas queimadas serão indício de exposição excessiva ao sol, enquanto a ausência de floração e ressecamento e queda das folhas podem ser decorrentes da presença de correntes de ar ou de condições incorretas de abastecimento de água e umidade ambiental. é importante que cada espécime seja removido, para evitar o reinício da colonização. Se, por outro lado, as folhas começarem a ficar feias ou a floração falhar, as condições de cultivo podem estar erradas e, consequentemente, pode ser necessário intervir alterando os hábitos de cultivo, para favorecer a recuperação da planta. Folhas queimadas serão sinal de exposição excessiva ao sol, enquanto a ausência de floração e ressecamento e queda das folhas podem ser decorrentes da presença de correntes de ar ou de condições incorretas de abastecimento de água e umidade ambiental. é importante que cada espécime seja removido, para evitar o reinício da colonização. Se, por outro lado, as folhas começarem a ficar feias ou a floração falhar, as condições de cultivo podem estar erradas e, consequentemente, pode ser necessário intervir alterando os hábitos de cultivo, para favorecer a recuperação da planta. Folhas queimadas serão sinal de exposição excessiva ao sol, enquanto a ausência de floração e ressecamento e queda das folhas podem ser decorrentes da presença de correntes de ar ou de condições incorretas de abastecimento de água e umidade ambiental. as condições de cultivo podem estar erradas e, conseqüentemente, pode ser necessário intervir modificando os hábitos de cultivo, para favorecer a recuperação da planta. Folhas queimadas serão indício de exposição excessiva ao sol, enquanto a ausência de floração e ressecamento e queda das folhas podem ser decorrentes da presença de correntes de ar ou de condições incorretas de abastecimento de água e umidade ambiental. as condições de cultivo podem estar erradas e, conseqüentemente, pode ser necessário intervir modificando os hábitos de cultivo, para favorecer a recuperação da planta. Folhas queimadas serão indício de exposição excessiva ao sol, enquanto a ausência de floração e ressecamento e queda das folhas podem ser decorrentes da presença de correntes de ar ou de condições incorretas de abastecimento de água e umidade ambiental.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.