Dicas

Mosca verde-oliva

A oliveira

Nas nossas discussões sobre jardinagem, técnicas de cultivo e manutenção e sobre as plantas mais apreciadas pelos entusiastas do sector, abordámos muitos tópicos e recentemente falámos também da videira, entre outras coisas, enfocando uma doença muito comum nela chamada oídio; uma planta que do ponto de vista histórico e económico tem uma importância comparável à da videira é a oliveira: também chamada «oliveira», esta planta apresenta características de preferência climática muito próximas das da videira, e por isso por isso se desenvolve com grandes resultados nas mesmas áreas já mencionadas no caso da videira, ou na bacia do Mediterrâneo e em algumas outras regiões de clima semelhante, como a Califórnia (um estado dos Estados Unidos da América). É muito apreciado tanto pela fruta chamada azeitona, e quer pelo néctar que se produz com a prensagem desta fruta, quer pelo azeite: assume grande importância culinária, visto que é utilizado para temperar, dar sabor e aperfeiçoar muitos pratos, desde sobremesas a primeiros pratos, passando pelo rústico, pratos principais, aperitivos e até lanches. Além disso, está protegido por declarações DOP e DOC e muitas outras siglas, que contribuem para reforçar a sua imagem no mundo e aumentar um já próspero comércio de exportação.

Proteja a oliveira


O azeite é um néctar especial para muitas pessoas, visto que, especialmente nas regiões com o clima melhor e mais produtivo para a oliveira, ainda existe a tradição de fazer você mesmo o azeite: apenas algumas plantas bonitas e produtivas no jardim, um muita paixão e uma pitada de sabedoria popular para produzir um óleo excelente que será suficiente até a próxima colheita de azeitona. Como podemos facilmente perceber, a oliveira é essencial para muitas pessoas e muitas actividades, por isso é justo que esteja protegida contra tudo o que possa deixar uma família sem azeite ou uma empresa sem o material principal para vender; as piores afeições do óleo são, como muitas vezes acontece neste gênero de plantas, causadas pela presença de insetos e de determinadas espécies de fungos. Esta só pode apoiar-se na planta para crescer, sem roubar nenhuma substância nutricional, mas apenas estragá-la esteticamente, e ambas podem parasitá-la e, nesse caso, afetar o seu rendimento produtivo e, nos casos mais graves, a própria vida. Hoje, porém, vamos falar de um inseto que infesta a oliveira e que por muitos é julgado como o maior problema que afeta esta planta, também porque muitas vezes afeta a produção de azeitonas e, portanto, de azeite.

A mosca da oliveira

A mosca da oliveira, também chamada de «mosca do óleo» e com o nome científico de Bactrocera oleae, é um inseto muito parecido com a mosca comum, mas com dimensões um pouco menores, cores diferentes na cabeça e no dorso, mas acima de tudo tem a característica que suas larvas são infestadoras da drupa da oliveira; como já especificamos, esta espécie da família de insetos Dacinae é considerada a adversidade mais preocupante das oliveiras. Obviamente, o papel mais «devastador» pertence às larvas, que nascem e crescem na drupa da oliveira ou na «polpa»; também é verdade que o ciclo de vida começa com a deposição desses ovos na própria azeitona pela mosca fêmea, que faz um orifício aproximadamente triangular na superfície do fruto e deposita um único ovo, em seguida, repetir a operação na mesma azeitona e nas outras. Quando a larva sai do ovo, começa a cavar em direção ao centro da oliveira, nunca alcançando o núcleo, mas criando muitos túneis na oliveira para torná-la obviamente atacada. À medida que cresce e se aproxima do estado de pupa, começa a se enterrar para fora até cair da planta e, em seguida, se desenvolve no solo. No entanto, o pior dano já foi feito a este, com a azeitona perdendo tanto sua superfície lisa e luminosa quanto seu sabor característico. começa a cavar para fora até cair da planta e, em seguida, se desenvolve no solo. No entanto, o pior dano já foi feito a este, com a azeitona perdendo tanto sua superfície lisa e luminosa quanto seu sabor característico. começa a cavar para fora até cair da planta e, em seguida, se desenvolve no solo. No entanto, o pior dano já foi feito a este, com a azeitona perdendo tanto sua superfície lisa e luminosa quanto seu sabor característico.

Mosca de Oliveira: danos e soluções

Conforme mencionado no final do parágrafo anterior, os danos que a larva da mosca da azeitona causa ao cultivo são estéticos e funcionais, pois afectam até o sabor da própria azeitona e também do azeite; parece incrível, mas na realidade os estudos realizados constataram que o óleo é o que mais prejudica, tendo um sabor muito mais ácido, causado pelo aumento da acidez decorrente de uma dose maior de ácido acético em percentagens entre dois por cento e dez por cento. (dependendo da gravidade da infestação). Portanto, pode-se imaginar que encontrar remédios é fundamental, pois isso pode afetar negativamente a colheita, o rendimento e, portanto, a renda econômica decorrente do petróleo. Infelizmente, os inimigos naturais da mosca da oliveira são poucos, limitando-se a alguns exemplares do gênero Hymenoptera e um de Diptera, alguns dos quais importados de outros continentes por estarem ausentes na bacia do Mediterrâneo. Como intervenções preventivas, podem ser colocadas iscas de proteína envenenada, o que atrairá o inseto porque deve complementar sua dieta pobre em proteínas; por fim, há o combate químico, sempre cheio de prós e contras devido à natureza dos herbicidas utilizados.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.