Dicas

Glicine in vaso

Wisteria em vasos origens e características

O nome botânico da glicínia é glicínia, é nativa do Oriente, mais precisamente da China e do Japão, e faz parte da papilionaceae, família que inclui cerca de dez espécies de escalada. As glicínias são compostas por dois ou três troncos basais que crescem verticalmente em espiral, ou seja, se retorcem: os caules delgados que surgem desses troncos se agarram por sua vez aos suportes que encontram, como telhados ou paredes, ou mesmo outros as plantas, caso contrário, se não tiverem apoios, tendem a cair com tendência pendular. As flores são pequenas e de uma cor muito particular, a meio caminho entre o azul e o violeta: crescem em cachos com tendência para baixo que podem atingir os trinta centímetros de comprimento.

Wisteria em vaso de cultivo


A glicínia em potesdeve ser plantada no outono ou inverno, mas não quando está muito frio ou quando há risco de geada. Você precisa de um solo argiloso, bem drenado e rico em húmus e é preferível mantê-lo em vasos porque as raízes tendem a se expandir, por isso se for colocado no solo pode danificar o sistema radicular das plantas próximas. A rega não deve ser muito abundante, exceto durante o período de plantio; a floração começa no verão e dura no máximo um mês; esta planta deve estar ao sol ou em qualquer caso num local muito luminoso, caso contrário não produzirá flores. A multiplicação pode ser feita de duas maneiras: por estacas, a serem operadas no verão, retirando-se porções de galhos que serão enterrados em solo composto de turfa e areia; e então por enxerto, a ser realizada na primavera, retirando-se porções da planta da raiz a serem plantadas e mantidas a uma temperatura constante que não exceda dezoito graus. Alternativamente, as sementes sempre podem ser usadas para propagação natural.

Cuidado de glicínias em vaso


As glicínias em vaso, assim como as cultivadas no solo, precisam ser fertilizadas antes da floração, mas nunca se deve exceder com os produtos, pois caso contrário poderá ter efeitos colaterais, como floração deficiente ou amarelecimento das folhas. A glicínia precisa então de poda regular: deve ser feita no verão, cortando os ramos produzidos no ano corrente em cerca de seis centímetros; em janeiro, porém, os mesmos galhos devem ser encurtados em cerca de três centímetros. Desta forma, a planta se revigorará e produzirá muitas flores. Também é preciso estar sempre atento aos pulgões e ácaros vermelhos que costumam atacar essa espécie, prejudicando principalmente a folhagem. Outro problema comum é a clorose, uma doença que envolve o amarelecimento da folhagem:

Wisteria envasada plantada


Para plantar uma glicínia em um vaso, siga este procedimento: na primavera, duas ou três toras são plantadas em um recipiente bastante grande, ao lado do qual deve ser inserido um suporte. Em torno desse suporte, os troncos se entrelaçarão, entrelaçando-se entre si para formar um grande tronco único. Uma vez que esta atinja a altura que preferimos, é necessário prover as glicínias com apoios laterais para que os ramos possam alcançá-las e se expandir sobre elas formando uma grossa coroa em um curto espaço de tempo. Depois de vários meses os ramos estarão lignificados, portanto, ficarão resistentes e formarão uma verdadeira cobertura de vegetação, que dará um bom visual na época da floração.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.