Dicas

Erva de São Pedro – Balsamita major

Generalidade

A grama de São Pedro, também chamada de grama amarga, pertence à família Composite, ao gênero Balsamita e às principais espécies. É uma planta herbácea perene, com 80-100 cm de altura, postura ereta, caules angulares e ramificados, raízes rasteiras, rizomatosas e fibrosas. As folhas são alternadas, ovais, de até 15-20 cm de comprimento, com a borda serrilhada e o ápice pontiagudo, de cor verde tendendo a prateada, peluda, dura e dotada de glândulas que dão um cheiro que lembra o de menta e um sabor amargo gosto; as folhas basais têm pecíolo, enquanto as colocadas acima são sésseis e menores. As flores são reunidas em pequenas inflorescências, com diâmetro de 5-6 mm, chamadas de cabeças de flores, constituídas por um receptáculo no qual se encontram as flores tubulares únicas e amarelas; as cabeças das flores estão localizadas no ápice das hastes e são organizadas em pequenos grupos semelhantes a guarda-chuvas. A floração ocorre no verão, começando em julho; neste período, a planta emite um aroma particularmente balsâmico. A polinização é entomófila, operada por abelhas e outros insetos polinizadores; os frutos são aquênios. As folhas e, em menor medida, as flores constituem a parte da planta utilizada.

Clima e terreno

A grama de São Pedro prefere climas temperados, é sensível a temperaturas abaixo de zero e altas demais no verão. As melhores exposições são os ambientes planos e acidentados a pleno sol, mas bem protegidos dos ventos. A erva amarga prefere solos soltos, frescos e bem drenados, mas também cresce bem em solos áridos, pedregosos, calcários e húmidos, enquanto evita os compactos porque é sensível à estagnação da água. A espécie é nativa da Ásia Ocidental, mais tarde se espalhou na bacia do Mediterrâneo e posteriormente pela Europa e América do Norte; A grama de São Pedro cresce espontaneamente em terras não cultivadas, em encostas rochosas, perto de bosques úmidos e rios.

Propagação

A erva amarga multiplica-se por semente e vegetativamente por divisão dos tufos graças à fragmentação do rizoma. A propagação por sementes é bastante difícil, pois as sementes costumam ser estéreis, caso contrário, elas lutam para germinar. A multiplicação vegetativa é a mais frequente e consiste em tirar um rizoma com pelo menos uma gema, plantá-lo diretamente no solo no outono ou na primavera ou os fragmentos rizomatosos são colocados em canteiros durante o inverno para obter mudas prontas para serem transplantadas no temporada de primavera.

Técnicas de cultivo

A erva de São Pedro é cultivada em hortas, em hortas familiares ou em grandes vasos. No que se refere ao plantio, a distância entre as linhas deve ser de no mínimo 60 cm e na linha de 20-30 cm, com densidade de 5-8 plantas / m2; o controle de ervas daninhas é realizado por meio de capina manual. A fertilização consiste na administração de esterco maduro no início do preparo da cama da semente e na distribuição de fertilizante ternário, contendo nitrogênio, fósforo e potássio, no final do inverno / início da primavera. A planta não precisa de irrigação, pois se desenvolve bem mesmo em solos áridos. A poda é efectuada de forma a atrasar a lenhificação dos rebentos, recolhendo as folhas ainda com consistência herbácea. A grama amarga é uma planta resistente,

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar