Dicas

Doenças da camélia

Doenças da camélia

Antes de prosseguir com a descrição do que são as doenças da Camélia, convém lembrar quais são as técnicas de cultivo, a família a que pertencem e as espécies que se enquadram no gênero camélia. Esta planta pertencente à família Theaceae é perene e é nativa das áreas da Índia e da Ásia. Nos viveiros é possível observar inúmeras espécies de camélias que se distinguem pelo tamanho, pela cor e pelo período de desenvolvimento das inflorescências. As camélias têm uma vida muito longa, se forem implementadas técnicas de cultivo adequadas, podem atingir dimensões entre 5 e 12 metros de altura. As espécies mais conhecidas são: camélia japonica, camélia sinesi, camélia amarela e camélia sasanqua. Tal como acontece com outras espécies de plantas e flores,

Doenças da camélia


Entre as principais doenças da caméliahá a podridão do colarinho e a radical. Os sintomas são caracterizados por um amarelecimento das folhas verdes, a presença de parasitas fúngicos ao nível das raízes ou do colo e um rápido murchamento dos ramos da planta. Quando a camélia está nesta situação, um produto fungicida deve ser borrifado no solo. Do ponto de vista da prevenção, é necessário misturar solo comum de jardim com composto, areia e cascalho, a fim de facilitar a oxigenação e evitar a estagnação da água. Além disso, o solo pode ser coberto com cobertura morta de forma a proteger as raízes durante os períodos de frio. A camélia também pode estar infestada de ácaros. A presença destes parasitas é notada pela presença, ao nível da folhagem, de manchas com tendência para a cor de ferrugem. Isso ocorre porque os ácaros se alimentam da seiva da folha, fazendo com que a planta enfraqueça e acabe morrendo. Para evitar esses ataques, basta aplicar um agrotóxico na parte aérea da camélia.

Doenças da camélia


Entre as principais doenças da caméliaocorre necrose de flores e folhagens. Quanto ao ressecamento das inflorescências, elas começam a enfraquecer, até secarem e se desprenderem da planta. A cura consiste no uso de fungicidas que podem ser adquiridos em todas as lojas especializadas. Para evitar a necrose das inflorescências é necessário misturar o solo com materiais inertes para facilitar o escoamento da água; além disso é necessário regular com rega e evitar molhar as folhas e flores. Se a necrose ocorrer ao nível das folhas, nota-se imediatamente um enfraquecimento e murcha, o que conduzirá à morte da folhagem. Também neste caso é necessário utilizar um produto fungicida. Do ponto de vista preventivo, o fungicida é aplicado assim que se percebe que a planta começa a perder as folhas, por cerca de vinte dias.

Doenças da camélia


Entre as inúmeras doenças da camélia, pode haver amarelecimento da folhagem e a presença de uma espécie de incrustação negra na parede foliar. Neste caso, a planta é afetada pela pulvinaria. O tratamento consiste em eliminar a área infestada e desinfetar a área onde a folha se soltou do galho para evitar novas agressões. Em seguida, as folhas são lavadas com sabonete vegetal para evitar o aparecimento de incrustações pretas. Além de doenças causadas por fungos e parasitas, a camélia pode sofrer alterações fisiológicas. Isso se deve a técnicas de cultivo inadequadas, tipo errado de solo ou exposição incorreta. Estes são notados pela presença de manchas amarelas ao nível das nervuras das folhas ou por uma cor muito clara. Normalmente, a causa é um solo pobre em minerais ou fertilização muito substancial. O remédio consiste em replantar a planta, com solo adequado, aumentando a rega sem criar estagnação da água.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.