Dicas

Cebolinha – Allium schoenoprasum

Generalidade

O cebolinho pertence à família Liliaceae, ao gênero Allium e às espécies schoenoprasum. É uma planta herbácea perene, com 20-40 cm de altura e 15 cm de largura, com uma postura ereta e um pequeno bolbo de forma oval, em cuja base se ramificam finas raízes brancas. No ápice do bulbo formam-se caules ou folhas, que são lisos, estreitos, eretos, ocos, de cor verde acinzentada e se desenvolvem como tufos; se amassados, emitem um aroma muito próximo ao da cebola. No topo dos caules formam-se flores, de cor variável (a subespécie sibiricum tem flores rosadas) e reunidas em inflorescências arredondadas; a floração ocorre durante o verão. As plantas no final do outono tendem a secar e espalhar as pequenas sementes pretas no meio ambiente.

Clima e terreno

Cebolinhas preferem climas temperados frios, mas também são capazes de se adaptar aos temperados, tolerando invernos rigorosos caracterizados por temperaturas normalmente abaixo de zero.

As melhores exposições são ambientes ensolarados, mas também se adapta a condições de sombra parcial, pois a planta gosta de um certo grau de umidade. A cebolinha prefere solos soltos, férteis, bem drenados, úmidos e ricos em matéria orgânica, enquanto evita solos compactos por estarem sujeitos à estagnação hídrica. A espécie é nativa da China e das áreas temperadas frias da Europa, é precisamente nestas últimas que o cultivo da cebolinha é particularmente difundido. Em nosso país, a subespécie de sibiricum cresce espontaneamente acima de 2.000 m de altitude nos prados úmidos alpinos e apeninos; a espécie é cultivada principalmente em jardins familiares e às vezes para fins ornamentais.

Propagação e implantação

Cebolinhas se multiplicam por semente ou por divisão de tufos de plantas adultas; no primeiro caso as flores assumem cores diferentes em relação à planta-mãe e podem variar do branco rosado ao lilás, enquanto com a propagação por via vegetativa as inflorescências mantêm a cor inalterada. A semeadura pode ser feita diretamente em campo aberto no início da primavera ou em canteiro no inverno para a obtenção de mudas prontas para o transplante que será realizado em abril. As mudas são transplantadas a uma distância de 50 cm entre as fileiras e 20 cm na fileira, com densidade de 10 plantas / m2. Caso seja utilizada a técnica de semeadura, procede-se ao desbaste das mudas, desde que atinjam a altura de 5 cm.

Técnicas de cultivo

Aconselha-se a adoção de grandes alternâncias, evitando-se a semeadura de cebolinha no mesmo solo, ou cultura da família Liliacee, nos 4-5 anos seguintes.

O controlo das ervas daninhas é efectuado através da sacha entre uma linha e outra se o cultivo for feito em campo aberto, enquanto nas hortas familiares é necessário recorrer à sacha manual. Durante o verão, as inflorescências devem ser removidas para garantir que a planta direcione os nutrientes para as folhas em detrimento da floração. A fertilização é feita mensalmente de março a abril a outubro com fertilizantes nitrogenados contendo enxofre, pois esse elemento confere aroma às folhas; se necessário, fósforo e potássio devem ser administrados no final do inverno. Cebolinhas precisam ser regadas em caso de condições de seca no verão. As folhas são colhidas ao longo da estação de crescimento, que vai de março a novembro, para favorecer a renovação vegetativa é aconselhável cortar os caules a 1-2 cm da base. As folhas são utilizadas frescas ou congeladas para o inverno, geralmente não passam por secagem porque perdem o delicado aroma. Cebolinhas são plantas resistentes e, portanto, não estão sujeitas a ataques de pragas.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar