Dicas

Vantagens e desvantagens das casas bioclimáticas

O aumento dos níveis de CO2 e os problemas ambientais atuais nos tornam cada vez mais conscientes das mudanças climáticas e da proteção ambiental. A busca por energias renováveis ​​e o aproveitamento máximo delas está na ordem do dia, e um exemplo arquitetônico disso é a construção de casas bioclimáticas.

O conceito de casa bioclimática refere-se à construção aproveitando ao máximo a energia que recebemos através do vento da luz solar. Evitar o uso de energia para iluminar ou resfriar e aquecer um ambiente no final do ano representa uma enorme economia que podemos aproveitar.

Por isso, neste artigo queremos mostrar qual é o real conceito de casas bioclimáticas e os benefícios que elas podem nos oferecer. E é que nem todos podem acessá-los, e não apenas pelo preço, mas porque você precisa saber se adaptar ao ambiente específico que é criado neles.

O que caracteriza as casas bioclimáticas?

O termo casa bioclimática refere-se à casa que aproveita ao máximo a energia que recebe do meio ambiente, como a energia eólica ou a energia solar. Portanto, use essas fontes para manter a casa aquecida no inverno ou, ao contrário, resfriá-la no verão.

Por outro lado, há uma vanguarda nas casas bioclimáticas por aproveitar a luz, com ambientes e espaços amplos e melhorar o microclima que se cria tanto no interior da casa quanto no ambiente que circunda a casa ou edifício.

Embora existam muitos conceitos relacionados com uma casa bioclimática, a principal receita que temos de garantir é garantir uma boa orientação da casa  e um magnífico isolamento de paredes e tectos.

Vantagens de uma casa bioclimática

É claro que as casas bioclimáticas têm uma longa lista de vantagens, muitas delas relacionadas à preservação do entorno e do meio ambiente, mas também relacionadas à redução da conta de energia a cada ano.

  • Conservação ambiental.
  • Redução das contas de eletricidade e gás natural.
  • Ambientes completamente quentes e confortáveis.

Desvantagens de uma casa bioclimática

Como poderia ser de outra forma, existem algumas desvantagens das casas bioclimáticas, e nem todos têm o luxo de poder comprá-las, tanto por dinheiro quanto por adaptação.

  • Preço: em geral, a construção de uma casa bioclimática tem um custo maior em relação às tradicionais, e terá que ser amortizada lentamente com a redução da conta de luz.
  • Materiais: muitos dos elementos utilizados nas portas, janelas e paredes não são tão fáceis de encontrar e não se adequam perfeitamente aos nossos gostos de design.
  • Design: não há tantos arquitetos especialistas em casas bioclimáticas quanto nas tradicionais, por isso não é fácil encontrar profissionais para isso.
  • Praticidade:  os benefícios da economia de energia às vezes lutam com a redução do conforto que nem todos estão dispostos a aceitar.

Requisitos necessários

Há uma série de pontos a serem atendidos no projeto de casas bioclimáticas. Estes são os seguintes:

  • Perda de calor acumulada no verão: você precisa ter sistemas de refrigeração passiva (sem gasto de energia), como o free cooling, para evitar o uso de ar condicionado para manter a casa fresca, principalmente à noite.
  • Proteção contra a radiação solar: o aumento da temperatura no verão devido à radiação é bastante perceptível nas casas tradicionais. As casas bioclimáticas não podem se dar ao luxo de não criar espaços de sombra ou superfícies refletivas, daí a importância de usar cores e formas adequadas.
  • Condições ambientais: para garantir o conforto e comodidade da estadia no interior da casa, é necessário procurar uma magnífica qualidade do ar no interior, ventilação correcta e conservação adequada do calor ou frio nas paredes e tectos. Isto é conseguido com uma boa escolha de materiais de construção.
  • Uso da energia solar: é preciso saber aproveitar a fonte inesgotável de energia solar, seja para fornecer calor no inverno ou para fornecer luz suficiente durante o inverno. Nesse sentido, é fundamental escolher bem a orientação da casa bioclimática. Todas as aberturas e janelas devem ser dispostas voltadas para o sul.
  • Criação do microclima externo: as casas bioclimáticas dependem muito do ambiente externo, onde é fundamental escolher as coberturas vegetais e contar com a natureza para obter resultados. Além disso, uma exigência é fazer parte do meio ambiente, evitando ao máximo sua alteração.

Leia mais: todas as plantas ornamentais para usar no jardim

Critérios para a construção de casas bioclimáticas

Todos os conceitos acima exigidos pelas casas bioclimáticas são fáceis de entender, mas as coisas ficam complicadas quando temos que implementá-lo em casa.

Encontrar o ponto ideal entre refletir o excesso de calor da luz solar no verão e capturá-lo no inverno pode ser extremamente difícil. Portanto, é necessário contar com a ciência dos materiais e a arquitetura clássica, onde muitos conceitos já foram utilizados no passado.

  • As casas bioclimáticas devem ser orientadas para o sul.
  • O benefício das plantas deve ser aproveitado com o projeto de telhados ecológicos para reduzir o calor no verão e criar um excelente isolamento térmico.
  • Você deve optar pela ventilação cruzada para melhorar a qualidade do ar dentro da casa.
  • As janelas devem ter um protetor solar que impeça a penetração de raios que aumentam consideravelmente a temperatura interna.
  • A fachada é projetada de acordo com sua orientação, de modo que reflita ou absorva o calor dependendo do momento em que é recebido.
  • Sistema de tratamento de água através da purificação e reutilização da água de irrigação
  • Foi demonstrado como os pátios interiores favorecem a iluminação da casa e reduzem o consumo de energia.

Em geral, as casas bioclimáticas devem aproveitar as técnicas passivas de economia de energia . É necessária a máxima eficiência energética e que por sua vez sejam capazes de oferecer conforto suficiente a quem o habita. Por outro lado, sempre utilize técnicas de preservação ambiental, reduza o impacto ambiental e promova a conservação de energia.

Leia mais: 5 casas bioclimáticas com aproveitamento total da energia solar

dicas de construção bioclimática

Pouco a pouco vamos conhecendo os pontos comuns que qualquer casa bioclimática desfruta. No entanto, queremos dar mais detalhes sobre como as casas bioclimáticas são construídas.

Orientação de habitação

A orientação sul é a mais aconselhável em todo o tipo de habitações, uma vez que a melhor inclinação do Sol é conseguida no inverno. No entanto, a luz solar quase vertical no verão não penetra tão facilmente na casa, mantendo-a o mais fresca possível. é o mais favorável no inverno, pois permite que o sol e o calor entrem bem no interior dos quartos, devido à inclinação do sol, e ao contrário, no verão, a posição quase vertical do sol impede a entrada do sol Raio. Um guarda-sol ou uma pequena pérgola é suficiente para proteger.

A orientação norte não é recomendada em áreas com alta incidência de sol, como Espanha, pois os raios solares não entram no inverno.

Orientação Norte no Hemisfério Sul e Orientação Sul no Hemisfério Norte.

Isolamento

O maior investimento a fazer em casas bioclimáticas é o isolamento, e não existe apenas um tipo, mas depende do clima e da nossa área geográfica.

Para áreas geográficas quentes, 20 a 25 cm de isolamento em paredes, pisos e tetos são considerados ideais. Esses valores não são os tradicionais para casas convencionais, que costumam ter 15 cm de isolamento no telhado e cerca de 10 cm nas paredes.

As pontes térmicas devem ser bem controladas, evitando perdas superiores a 5% nos recintos. A transmitância linear, um conceito bem conhecido dos arquitetos, não deve exceder 0,01 W/mk.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar