Dicas

Tintura madre iperico

Natureza, ajuda!

O ser humano, apesar de ser o mais extraordinário dos viventes e, portanto, dos produtos da natureza (digamos, para não nos autocomemorar excessivamente, que somos os que mais evoluem), muitas vezes esquece que é precisamente um produto da Mãe Criadora Natureza e tenta de todas as maneiras subjugá-la e governá-la. Tudo se torna ainda mais ridículo para nós quando, em vez disso, nos momentos de dificuldade, recorremos a ele para nos ajudar; talvez hoje isso, embora aconteça muito mais do que pensamos, seja difícil de identificar porque é um pouco menos direto, mas se o ser humano pode se gabar de milhares de anos de história é só porque a natureza nos trouxe até aqui. Na verdade, não devemos esquecer que nossos primeiros ancestrais não tinham nada além da natureza ao seu redor, tanto para comer quanto para beber, tanto para se cobrir como para se proteger do mau tempo ou do sol escaldante; esta “presença” da natureza foi fundamental, imprescindível para a nossa história, e esta relação direta continua até hoje, pois muitas vezes nos voltamos para a natureza e seus produtos para a nossa existência. Para corroborar esta tese, poderíamos dar exemplos infinitos, mas pensamos que o óleo é um elemento natural, que os tomates são, como é o parquete e muito mais.

Ervas medicinais


Muitas vezes a “ajuda” (ou ajuda, para retomar o título do primeiro parágrafo) que pedíamos à natureza era para tentar melhorar as nossas condições de saúde; na verdade, há muito tempo, os médicos eram considerados e quase mágicos, porque preparavam poções em vez de remédios: quando a pesquisa médica e biológica não havia sequer uma hipótese, só se podia contar com plantas, algumas pedras e partes de animais para tentar extrapolar alguma mistura positiva que poderia ajudar em certos casos. Pois bem, é preciso dizer que esses “alquimistas” da medicina não foram tão longe, porque hoje temos a fitoterapia que é exatamente a utilização de plantas e partes delas para melhorar a saúde e o bem-estar do ser humano. Esta disciplina tem como matéria-prima as chamadas plantas oficinais, ou espécies vegetais reconhecidas como possuidoras de propriedades benéficas precisas e comprovadas para o corpo humano. Dito assim também pode parecer algo que comove poucos e selecionados, mas temos o prazer de surpreendê-lo novamente: até a camomila, o calmante por excelência para jovens e idosos, nada mais é do que uma infusão de uma planta semelhante à do margarida comum.

Hypericum tintura mãe

Cada planta medicinal conhecida é classificada de acordo com o grupo, gênero e espécie a que pertence, mas sobretudo é catalogada de acordo com o efeito que pode garantir, e são muitos e muito variados. Neste caso, focamo-nos na tintura-mãe de hypericum: esta planta deve o seu nome à união de duas palavras gregas que significam “abaixo” e “urze”, para deixar claro que a planta cresce sob a escalada muito comum mescla; na realidade, é até uma planta espontânea, ou uma daquelas clássicas plantas verdes que crescem em terras não cultivadas ou, pelo menos, um pouco mais livres. Como costuma acontecer com esse tipo de planta, é difícil reconhecer uma área de origem precisa, pois as plantas espontâneas se espalham pelo vento e outros fenômenos puramente aleatórios; a única coisa que podemos dizer é que o hypericum é comumente encontrado nas terras baixas e nas áreas de montanha média-baixa da Europa, África e América do Norte. Sua tintura-mãe nada mais é do que um extrato em forma líquida extremamente concentrada, a ponto de sua ingestão ser esperada em algumas dezenas de gotas por dia, no máximo.

Efeitos e posologia

Mas qual é o efeito predominante pelo qual a erva de São João e sua tintura-mãe são tão famosas? Pois bem, esta planta, cuja parte utilizada para obter substâncias com efeitos tão positivos é a do topo onde se encontram as flores e pequenas folhas, tem a propriedade de ser um bom antidepressivo, capaz em muitos casos de fazer desaparecer aos poucos também médios formas de depressão. Explicar do ponto de vista científico e biológico quais substâncias estão presentes no hypericum e envolvidas nesses delicados efeitos não é nosso objetivo, mas assumimos total responsabilidade pelo que dizemos, pois há estudos científicos que comprovam o significado desses efeitos. As situações para as quais a ingestão de tintura-mãe de erva de São João é recomendada são aquelas que apresentam uma depressão de baixo ou médio nível, ou a depressão pós-parto clássica e a frequente devido à menopausa. Do ponto de vista da dosagem, tendo dito que depende muito da percentagem de concentração da tintura-mãe, costumamos tomar erva de São João cerca de três vezes ao dia em água morna, num total de cerca de quarenta gotas. É bom não ir além de certos níveis recomendados porque todas as plantas têm um nível de toxicidade e a erva de São João não é exceção.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar