Dicas

Peônia

Características da peônia

Também conhecida como «Rosa sem Espinho», a peônia é uma planta de muito charme por suas flores grandes e coloridas. É comum na Itália e na Europa principalmente na forma herbácea, mas existem muitas variantes híbridas e peônias arbustivas, principalmente de origem asiática. As peônias arbustivas possuem caules lenhosos e podem atingir dois metros de altura, produzindo flores grandes no verão, enquanto no inverno os ramos permanecem nus. As peônias arbustivas requerem, portanto, um amplo espaço, mas oferecem um impacto considerável, visto que podem atingir até dois metros de altura. As peônias herbáceas, por outro lado, são mais adequadas para o cultivo em vasos e no interior de casas e apartamentos, igualmente elegantes, mas de tamanho menor: as variedades de peônias herbáceas geralmente não ultrapassam um metro de altura. As flores coloridas são realçadas pelas folhas verdes brilhantes, que se desenvolvem em abundância se a planta for cultivada em solo adequado e com espaço suficiente para o desenvolvimento das raízes. O plantio no solo ou em vasos deve ser feito na primavera, em solo fofo e fértil, melhor se misturado com esterco. A peônia requer poucos cuidados e se suficientemente exposta à luz oferece floração abundante, que nunca passa despercebida.

A peônia no oeste


Na linguagem das flores, no Ocidente a peônia é um símbolo de modéstia e timidez. Juntamente com a rosa, é por excelência a flor dada pelos amantes aos seus entes queridos. O cultivo massivo de peônias começou em 1700, mas traços da disseminação das plantas e seu papel como portadores de mensagens de amor já podem ser encontrados em tempos mais antigos. Textos medievais, mas também mitos antigos, referem-se às flores fascinantes com pétalas enroladas como um símbolo de amor e requinte. Emprestado do Oriente, o costume de tatuar peônias tornou possível diluir símbolos de força e coragem com um elemento ligado à elegância e pureza. Os pioneiros que chegaram à América, por outro lado, costumavam tatuar peônias coloridas em memória das belezas de sua terra natal. Depois de alguns anos de relativa ausência,

A peônia no leste


Símbolo do amor no Ocidente, mesmo no Oriente a peônia é considerada um bom presságio para casamentos longos e uma representante do amor, nobreza de alma e também, no período de floração, paz. De maneira mais geral, na cultura chinesa, desde os tempos antigos, a peônia tem sido a portadora de bom presságio. Pinturas representando a flor são penduradas em residências ou escritórios, para fechar bons negócios. Na variante branca, as peônias são oferecidas às meninas que se destacam pela beleza, enquanto as peônias vermelhaseles estão mais relacionados à sensualidade. A peônia rosa se refere ao amor romântico. Em chinês, o nome de peônia significa «bela» e é uma das poucas flores a se enquadrar no princípio Yang, ligado à masculinidade, juventude, riqueza e boa sorte, enquanto no Japão seu significado é declinado em significado de sorte, alegria e fertilidade na vida de casado. Além disso, desde os tempos antigos, a peônia é conhecida por suas propriedades curativas: acreditava-se que um galho do caule usado no pescoço poderia curar a loucura, enquanto no Ocidente há vestígios na literatura da peônia usada como remédio contra a epilepsia.

A peônia na mitologia


Os antigos mitos gregos e latinos referem-se ao nascimento da peônia, portanto, evidentemente, já difundido na Europa. Segundo a mitologia grega, o deus Zeus transformou Paeon em uma peônia para protegê-lo da ira de seu professor Asclépio, deus da medicina. Existem, no entanto, diferentes versões desse mito, centradas na rivalidade entre Paeon e Asclépio, ou ligadas à figura de Leto e a de Apolo. A peônia também está no centro de inúmeras lendas que revelam diferentes versões do nascimento desta flor sugestiva e fascinante. Na mitologia, o nascimento da peônia também está ligado às lágrimas derramadas por Diana, deusa da caça, ao descobrir que ela havia matado seu amado por engano ao acertá-lo com uma flecha. O nascimento do significado ainda atribuído à peônia na linguagem das flores, porém, está ligada à figura mitológica das ninfas: teriam o hábito de se esconder dentro das pétalas das peônias. Daí a justaposição de temas amorosos com os da vergonha, do pudor e da timidez. A mitologia não é a única área em que a peônia aparece como elemento recorrente: a flor também era usada na antiguidade por suas propriedades curativas. Acreditava-se, de fato, que poderia ajudar a aliviar as dores do parto, enquanto tomado na forma de chá de ervas era considerado um calmante útil contra tosse e problemas respiratórios. A mitologia não é a única área em que a peônia aparece como elemento recorrente: a flor também era usada na antiguidade por suas propriedades curativas. Acreditava-se, de fato, que poderia ajudar a aliviar as dores do parto, enquanto tomado na forma de chá de ervas era considerado um calmante útil contra tosse e problemas respiratórios. A mitologia não é a única área em que a peônia aparece como elemento recorrente: a flor também era usada na antiguidade por suas propriedades curativas. Acreditava-se, de fato, que poderia ajudar a aliviar as dores do parto, enquanto tomado na forma de chá de ervas era considerado um calmante útil contra tosse e problemas respiratórios.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.