Dicas

Hortênsia

Pinte o jardim com hortênsias

Impossível resistir ao encanto das hortênsias: os arbustos atingem grandes tamanhos e recompensam todos os amantes do jardim com grandes inflorescências esféricas de cores brilhantes e um perfume intenso. Cultivar hortênsias significa dar vida a um jardim que não passará despercebido, trazendo nele um elemento de cor e vivacidade, mas também uma ordem harmoniosa que dará ao jardim o aspecto de um ambiente bem cuidado e adequadamente desenhado. O seu aspecto fascinante e extremamente variado é responsável pela ampla difusão na Europa das várias espécies de hortênsias, nativas do Oriente e das Américas. Na verdade, a definição de hortênsia inclui um grande número de espécies que se distinguem à primeira vista, mas unidos pela natureza arbustiva e trepadeira e pela presença de flores reunidas em grandes inflorescências de formato muito regular. Essas plantas da família Hydrangeaceae têm caules lenhosos robustos e folhas dentadas ou lobadas. Uma característica curiosa das mais de 40 espécies de hortênsias está justamente na cor: enquanto para alguns a determinação está exclusivamente ligada ao patrimônio genético, outras espécies podem dar vida a flores de diferentes cores dependendo da composição do solo, seu grau de acidez e nutrientes nele contidos.

Cultivo


Dada a tendência para um amplo desenvolvimento tanto horizontal como verticalmente (algumas espécies podem atingir até 3 metros de altura), as hortênsias são arbustos que crescem quase exclusivamente em espaços abertos, embora seja recomendado que sejam protegidos da luz solar direta. E podem garanta frescura mesmo no período de verão: isto permitirá prolongar o período de floração da planta, que ao invés começa a parar acima dos 20 graus. Hortênsia também requer um substrato muito úmido, portanto, especialmente no período de verão, é importante regar a planta frequentemente com quantidades abundantes de água. Mesmo a nebulização da parte da área da planta pode ser uma boa solução para garantir o nível certo de umidade, mas tomando cuidado para não exagerar para evitar a formação de fungos ou a propagação de parasitas. No verão recomenda-se adicionar um fertilizante líquido à água de irrigação que irá favorecer o crescimento da planta e o seu florescimento. Ocorre com o início da primavera e a retomada do ciclo vegetativo, após o período de descanso do inverno, durante o qual a hortênsia perde todas as folhas.

Reprodução e poda


A poda é de particular importância para o cultivo da hortênsia, que por outro lado tende a se desenvolver descontroladamente com muitos ramos que acabam obscurecendo os mais produtivos e impedindo a correta aeração e iluminação das partes internas do arbusto. A poda também serve para garantir à planta a possibilidade de aproveitar ao máximo os nutrientes de que necessita para um crescimento exuberante. Eliminar ramos secos ou improdutivos é portanto uma operação útil não só para a estética destes arbustos coloridos, mas também para a sua saúde. É aconselhável podar em fevereiro ou, em todo caso, no início da primavera, antes do período de floração. Em caso de condições ideais, uma poda leve no final do verão ou outono também pode favorecer o aparecimento de uma segunda floração, para um jardim mais vivo. Ainda mais fácil do que o cultivo da hortênsia é a sua reprodução: para dar vida a um novo cultivo basta cortar um galho da planta já cultivada de cerca de 8 a 15 cm e plantá-lo em solo úmido: em pouco tempo ele enraizará e pode ser colocado no jardim para dar vida a um novo arbusto cheio de charme.

Hortênsia: doenças e parasitas


Embora a hortênsia seja uma planta capaz de se adaptar a muitos tipos de ambientes e principalmente de solo, deve-se ter cuidado ao decidir colocá-la no seu jardim: um solo muito calcário pode ser impróprio para o cultivo e, consequentemente, não permitir um crescimento saudável. E exuberante com o arbusto. Entre as principais causas dos problemas fitossanitários estão também o calor excessivo e a exposição direta aos raios solares, que podem causar ressecamento prematuro, ou a irrigação excessiva que pode originar fenômenos de podridão dos arbustos e de suas raízes. Para pôr em perigo a saúde e a vida das hortênsias existem algumas criaturas externas: são parasitas que frequentemente afetam as plantas dos jardins europeus, como a cochonilha e a aranha vermelha. Em particular, a hortênsia está sujeita ao ataque de pulgões, os quais, se não forem combatidos com eficácia, podem causar a morte da planta. A presença desses pequenos parasitas fica evidente pelo aspecto manchado que dão à planta: uma vez identificados, devem ser combatidos com produtos específicos até serem completamente erradicados, para evitar que a colonização se retome mais tarde.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.