Dicas

Farnia

Generalidade

O carvalho inglês é um carvalho de grande porte (Quercus robur), visto que em condições favoráveis ​​atinge os 50 m de altura e o diâmetro do tronco é de 2 m. No entanto, geralmente tem cerca de 35 m de altura. Supera 500 anos de vida. O tronco é robusto, ramificado quando há espaço, em grandes ramos. A folhagem é larga e não muito densa, com os ramos inferiores na horizontal. A casca é primeiro lisa e cinza, depois dos 20 anos forma sulcos longitudinais profundos e sulcos horizontais mais rasos. Os ramos do ano são castanho-acinzentados, lisos e brilhantes. As folhas são caducas, obovado-oblongas, mais estreitas na base, com 5-7 lobos largos e seios arredondados e dois lobos desiguais característicos perto do pecíolo (orecchiette). A consistência foliar é herbácea, mais coriácea no final da temporada. A floração ocorre ao mesmo tempo que a foliação, do final de abril a maio, com flores masculinas reunidas em amentilhos com 10-12 flores amareladas do perianto. Já as flores femininas são transportadas para a axila das folhas na parte apical dos ramos. Eles são reunidos em pontas de 2 a 5 elementos e têm 3 estigmas avermelhados cercados por brácteas ovais. A polinização é anemófila, mas ainda não há certezas documentadas sobre a alergenicidade de seu pólen. A frutificação do Farnia começa a partir dos 30 anos de vida ou mesmo mais tarde em habitat florestal (70 anos). O fruto é uma bolota alongada e lisa, com 2-3,5 cm de comprimento, marrom quando maduro (outubro) com estrias longitudinais mais escuras e uma cúpula que o cobre por cerca de um terço de seu comprimento. O sistema radicular é inicialmente a raiz axial, então gradualmente as raízes laterais cada vez mais predominantes e robustas aparecem. A rizosfera na maturidade é expandida, mas mais superficial do que em outros carvalhos, o que não é estranho, visto que o Farnia vive em locais com lençol freático superficial e, nessas condições, um sistema radicular muito profundo pode sofrer asfixia. O carvalho inglês apresenta uma variabilidade morfológica considerável também devido à facilidade com que se hibridiza na natureza (normalmente com carvalho e carvalho felpudo, mas não só). Existem duas subespécies naturalmente presentes na Itália, uma é a descrita até agora, a outra difere desta porque suas folhas são inicialmente pubescentes com seios mais estreitos, e as bolotas têm a maior cúpula (subespécie da brutia). O carvalho inglês apresenta uma variabilidade morfológica considerável também devido à facilidade com que se hibridiza na natureza (normalmente com carvalho e carvalho felpudo, mas não só). Existem duas subespécies naturalmente presentes na Itália, uma é a descrita até agora, a outra difere desta porque suas folhas são inicialmente pubescentes com seios mais estreitos, e as bolotas têm a maior cúpula (subespécie da brutia). O carvalho inglês apresenta uma variabilidade morfológica considerável também devido à facilidade com que se hibridiza na natureza (normalmente com carvalho e carvalho felpudo, mas não só). Existem duas subespécies naturalmente presentes na Itália, uma é a descrita até agora, a outra difere desta porque suas folhas são inicialmente pubescentes com seios mais estreitos, e as bolotas têm a maior cúpula (subespécie da brutia).

Clima e terreno


Na Itália, está presente em toda a península, com exceção de Puglia, na Sicília. A subespécie brutia está presente na Campânia e na Calábria. Mesmo que agora as Farnia tenham sido suplantadas por culturas agrícolas e os carvalhos tenham sido consideravelmente reduzidos, este carvalho seria o principal componente das grandes florestas de várzea (a “Silva lupanica” dos antigos romanos). O clima ideal inclui verões quentes mas não secos e invernos rigorosos, boa disponibilidade de água durante todo o ano (sob pena de secagem dos ramos e formação de ramos epicórmicos do tronco e ramos principais) e uma exposição muito luminosa. Exceto no nos primeiros anos de desenvolvimento. Prefere solos profundos com aqüífero superficial, frescos e ricos em húmus, nem muito ácidos nem muito alcalinos.

Técnicas de planta e cultivo

Onde for possível utilizá-lo, a sementeira é preferível, uma vez que a raiz principal da planta jovem é bastante longa. O fruto do carvalho germina de imediato, pelo que deve ser semeado a 4-5 cm de profundidade em solo bem trabalhado assim que atinge a maturidade (setembro-outubro). As mudas são plantadas com 1 ou 2 anos de idade. Os transplantes, por outro lado, não criam bem raízes se já estiverem altamente desenvolvidos. O cultivo comercial leva um turno de 80-100 anos, devido ao crescimento lento da planta. A poda agrícola é realizada apenas para obter troncos mais úteis comercialmente, caso contrário, a planta deve ser deixada intacta.

Parasitas e doenças

Entre os parasitas dos carvalhos em geral e, portanto, também do carvalho inglês, lembramos vários lepidópteros, incluindo Lymantria dispar e Thaumetopoea processionaea, que causam desfolhamento grave e podem ser contrastados com o controle biológico por meio de espécies antagônicas ou predatórias (chapins). Lembramos também do Cerambix cerdo que cava túneis na madeira, o vírus do mosaico das folhas, o oídio causado pelo ascomiceto Microsphaera alphitoides e várias outras doenças fúngicas. Farnia também é vítima da «síndrome da perda do carvalho», doença hoje difundida em todo o mundo e ainda não bem compreendida, que se manifesta com amarelecimento da folhagem, microfilias, ramos epicórmicos, diminuição de micorrizas vitais nas raízes, exsudações da casca das rachaduras.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.