Dicas

Faça você mesmo pérgulas

Relacionamento com o jardineiro

Se analisarmos toda a história da relação entre o ser humano e sua horta, vemos que ela tem uma tendência flutuante e variada dependendo do período histórico por que passa; entretanto, esse discurso se refere a um tempo relativamente recente, digamos de meados do século passado até os dias de hoje. Entre outras coisas, neste período de tempo foi realmente possível admirar uma grande mudança na cultura, na sociedade, em todo o nosso mundo. Na verdade, se nossos bisavós e tataravós pudessem, nos anos que se seguiram à Segunda Guerra Mundial, se dedicarem a um novo trabalho de reconstrução material e imaterial de sua sociedade e, ao mesmo tempo, ainda desfrutar dos benefícios da sua paixão e antigo vínculo com o cultivo da terra em todas as suas formas (portanto, também a da horta), nossos avós e pais não puderam fazê-lo ou, em todo caso, a corrente de pensamento de sua geração era a de se voltar para a cidade, com a ocupação de escritórios e, sobretudo, com a construção de modernos blocos de apartamentos e, portanto, a vida em apartamentos; então talvez o jardim nem fosse tão desejado. Hoje, por outro lado, voltamos a um desejo profundo pelo jardim perto de nossa casa, para estabelecer uma relação direta com a natureza, mas por razões muito diferentes da época: estamos nos aproximando da natureza porque é o melhor anti. -estresse, porque estamos submersos no ‘asfalto, computadores e todo o estresse que eles causam em nossas vidas. com ocupações de escritórios e, sobretudo, com a construção de modernos blocos de apartamentos e, portanto, com a vida em apartamentos; então talvez o jardim nem fosse tão desejado. Hoje, por outro lado, voltamos a um desejo profundo pelo jardim perto de nossa casa, para estabelecer uma relação direta com a natureza, mas por razões muito diferentes da época: estamos nos aproximando da natureza porque é o melhor anti. -estresse, porque estamos submersos no ‘asfalto, computadores e todo o estresse que eles causam em nossas vidas. com ocupações de escritórios e, sobretudo, com a construção de modernos blocos de apartamentos e, portanto, com a vida em apartamentos; então talvez o jardim nem fosse tão desejado. Hoje, por outro lado, voltamos a um desejo profundo pelo jardim perto de nossa casa, para estabelecer uma relação direta com a natureza, mas por razões muito diferentes da época: estamos nos aproximando da natureza porque é o melhor anti. -estresse, porque estamos submersos no ‘asfalto, computadores e todo o estresse que eles causam em nossas vidas.

O jardim como hobby


Então, como vemos o jardim hoje? No parágrafo anterior, mencionamos: hoje é uma forma de liberar o estresse, de nos distrair do caos e da correria de nossa vida e de afastar os maus pensamentos assim que chegarmos ao primeiro dia. Esta, para quem aguçou um pouco a intuição, não é a descrição do trabalho no jardim, mas sim a descrição de um hobby! Sim, porque na nossa cultura hoje está em voga mais do que jardinagem, a cultura dos hobbies, dos passatempos, daquelas várias atividades que nos apaixonam e que tiram aquelas pequenas mas fundamentais satisfações: barco construído por nós, pilotar o avião , admirar o retrato do nosso parceiro, ver crescer a planta que plantámos… e muitas outras. A jardinagem, um dos passatempos mais valorizados e eficazes, faz parte deste quadro, pois também pode nos envolver fisicamente, dando-nos aquele cansaço no final da atividade que no entanto é tão saudável. Além disso, a sua eficácia está claramente ligada ao contacto próximo que nos permite ter com a natureza, o que tem um efeito extraordinário em todos nós.

Faça você mesmo pérgulas

Falamos do jardim como um hobby preferido de muitas pessoas, mas essa atividade recreativa e regeneradora (acima de tudo) não significa apenas regar as plantas, transferir flores, fertilizar a terra e limpá-la com pá. Uma das coisas mais comuns em que um dono de jardim gosta de pensar é em mobiliar, melhorar, adicionar ou substituir um item naquele canto para dar-lhe uma aparência totalmente nova. Sempre foi assim: quem possui um jardim sabe que nunca se deixaria de ir às lojas e centros comerciais para colher novas inspirações e ideias de decoração para o nosso jardim e, consequentemente, nunca está totalmente mobilado, pelo menos para o seu proprietário. As pérgulas são uma peça de mobiliário muito comum entre jardins e, especialmente, em uso generalizado; são capazes de fornecer grandes espaços com simplicidade e elegância, também o resultado do uso de madeira muito grossa como material básico para sua construção. As pérgulas são utilizadas para criar «divisões» abertas no interior do jardim, ou verdadeiras antecâmaras entre o próprio jardim e a entrada da casa contígua; e por sua simplicidade construtiva, as pérgulas são excelentes como tema para faça você mesmo.

Construindo uma pérgula

O faça-você-mesmo é um hobby em si mesmo: nos dedicamos a pequenas atividades domésticas para as quais a maioria das pessoas chama de técnicos especializados, enquanto aqueles que praticam este passatempo adoram passar dez vezes o mesmo tempo, mas também adoram a satisfação de ter sucesso naquelas pequenas grandes empresas. A bricolagem aplicada na horta é muito comum e, no caso das pérgulas, é cada vez mais comum. A pérgula tem uma estrutura muito simples, composta por uma série de pérgulas (pilares muito requintados de vários materiais) colocadas lado a lado para delimitar um espaço normalmente fechado. Quem está um pouco familiarizado com o trabalho manual, que sabe posicionar tudo para que não desmorone à primeira rajada de vento, que saiba bater um prego com um martelo sem amputar o dedo … enfim, ele certamente pode construir seu próprio caramanchão em sua própria casa. Porém, é necessário comprar pérgulas, que muitas vezes são vendidas em lojas especializadas do setor, e não naqueles centros de bricolagem e bricolagem onde é muito mais fácil encontrar pérgulas inteiras.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar