Dicas

Extratos fluidos

Extratos de plantas fluidos

Os extratos vegetais fluidos são um dos métodos mais difundidos de aproveitamento, no campo fitoterápico, dos recursos contidos nas plantas e vegetais para o cuidado e o bem-estar do organismo. Na verdade, o extrato fluido permite manter quase inalteradas todas as propriedades e o espectro do fitocomplexo da droga seca a partir da qual o processamento começa. É por isso que se diz que a relação entre o extrato seco e o fármaco em pó deve ser de 1: 1, ou seja, uma parte em peso do extrato seco corresponde a uma parte em peso do fármaco seco. Os extratos vegetais fluidos são produtos particularmente ricos em propriedades benéficas também porque são feitos deixando a planta seca macerar em um solvente, geralmente alcoólico, que favorece a conservação de todas as substâncias úteis. O extrato fluido é, portanto, um recurso fundamental na fitoterapia e apenas em casos raros ocorre a perda de substâncias vegetais importantes. A partir do extrato fluido também pode-se começar a obter o extrato seco, que também é muito utilizado em fitoterapia.

Uso


As características dos extratos fluidos podem variar consideravelmente dependendo da planta de origem: seu uso é estritamente regulamentado pelo Ministério da Saúde, bem como os procedimentos que levam ao processamento e produção dos extratos, que são distribuídos na forma de suplementos. . Fundamental, para a preparação dos extratos fluidos, é a seleção da planta da qual extrair o fármaco para a realização do produto final: nela estarão substâncias farmacologicamente inertes ou nocivas, ao lado das procuradas. Justamente a seleção rigorosa deste último permite a comercialização de produtos com eficácia direcionada e efeitos padronizados: poder ter certeza dos resultados que o produto oferece é de fato uma característica fundamental na medicina. A quantidade e qualidade dos ingredientes ativos armazenados no produto final é um fator variável e não dependente apenas da qualidade das matérias-primas utilizadas, mas também dos processos relacionados a cada etapa do processamento, desde a colheita e armazenamento até o tratamento. o final. Mesmo a escolha do solvente deve ser direcionada ao tipo de planta com a qual você está trabalhando, a fim de selecionar os princípios ativos de interesse e eliminar aqueles que são prejudiciais, pouco ativos ou completamente inertes do ponto de vista médico.

Preparação


Como vimos, a preparação de extratos fluidos deve ocorrer de acordo com métodos precisos e regulamentados, que variam de acordo com o tipo de planta e medicamento com que se trata e com suas características específicas. O preparo geralmente ocorre explorando o processo de maceração da planta seca por um tempo determinado dentro de um líquido que possa garantir a manutenção do fitocomplexo em sua melhor integridade: pode-se usar álcool ou glicerina, após possivelmente ter purgado a planta de não -substâncias tóxicas úteis com um processamento preliminar. Dependendo do líquido utilizado para a preparação, os extratos fluidos são divididos em etéreo, alcoólico, hidroalcoólico e aquoso. Para a realização do produto final atuaremos então de forma a manter a proporção de um para um entre as partes do extrato fluido e do fármaco desidratado. A maceração, porém, não é o único processo de obtenção do extrato fluido: às vezes recorre-se à percolação ou dissolução de um extrato seco ou mole em álcool de título adequado. Essas operações podem levar à formação de um depósito residual, que não será utilizado para a realização do produto acabado.

Extratos fluidos: vantagens e desvantagens


Como visto, uma das principais vantagens dos extratos fluidos é preservar da melhor forma todas as propriedades benéficas da planta e ser capaz de selecioná-las cuidadosamente e dividi-las das inertes, para um produto extremamente eficaz e utilizável com sucesso na área médica. com aplicação específica variável, dependendo do tipo de planta e, portanto, do ingrediente ativo sendo processado. A baixa presença de álcool no produto acabado permite que os extratos fluidos sejam explorados com a máxima eficácia como bases para o preparo de xaropes e outros medicamentos fluidos de uso interno. À vantagem desta preparação é necessário agregar a possibilidade de mantê-la por muito tempo e poder obter quantidades consideráveis ​​de princípio ativo em poucos ml de produto. Em comparação com as tinturas-mãe, no entanto, a conservação integral do fitocomplexo é ligeiramente inferior devido ao baixo teor de álcool: a vantagem, portanto, é tal apenas em relação ao tipo de uso que deve ser feito do produto. Os extratos fluidos permitem a seleção dos princípios ativos da planta, mas não a manutenção de todas as suas características, como sabor e aroma, que permanecem inalteradas no caso das tinturas mãe.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar