Dicas

Doenças do rododendro

Doenças do rododendro

O rododendro é uma das plantas que mais frequentemente são vítimas de várias doenças, que dependem essencialmente de três fatores diferentes: a falta de nutrição da planta, a presença de fungos ou ataques de insetos. A falta de nutrientes como, por exemplo, nitrogênio, pode levar ao amarelecimento das folhas do rododendro: neste caso é necessário intervir fertilizando a planta com produtos específicos para plantas acidófilas. Obviamente, se as fertilizações ocorrerem regularmente, o amarelecimento das folhas pode ser evitado e se torna um fenômeno mais raro. Às vezes pode acontecer que as folhas tenham pequenos pontos amarelos em sua superfície: esses pontos são causados ​​por ácaros, insetos muito perigosos para a saúde desta espécie que devem ser combatidos imediatamente com inseticidas específicos, caso contrário a planta morrerá lentamente. Por fim, outro inimigo é o bolor cinza, responsável pela cor escura das folhas, que parecem sujas: esse bolor ataca em períodos de chuva, por isso quando é possível é melhor abrigar o rododendro para evitar o problema.

Origens e características do rododendro


O rododendro é uma planta que pertence à família dos rododendros, assim como muitas outras plantas, como as azaléias. O nome deriva do grego e significa literalmente roseira: na verdade, esta planta produz belas flores em forma de sino, que geralmente são agrupadas em cachos no topo dos galhos. O rododendro é uma planta arbustiva que pode atingir vários metros de altura: as suas folhas são verde-escuras mas brilhantes e as suas origens remontam à Europa, Ásia e América. Esta planta sempre foi difundida em todo o mundo, também porque existem muitas variedades, cada uma com características diferentes e com flores de cores diferentes, especialmente rosa ou vermelho ou roxo. Na Itália, existem algumas variedades que crescem principalmente nas áreas alpinas, formando verdadeiras manchas coloridas nas montanhas. Infelizmente, todas as espécies de rododendros são propensas a doenças.

Rododendros e plantas acidofílicas


A característica do rododendro que é preciso conhecer para tentar, na medida do possível, evitar as doenças de que padece esta espécie, é o facto de pertencer a plantas acidófilas: este é o nome das plantas que necessitam de um determinado solo em a fim de sobreviver e durar por muito tempo. Portanto, o rododendro deve ser plantado em solo bem trabalhado, composto de turfa e solo específico para plantas acidofílicas. O essencial é que não haja cálcio e que o solo onde o rododendro é plantado mantenha o seu nível de acidez constante: é a rega que provoca o aumento do calcário, portanto para tentar evitar este inconveniente, o rododendro deve ser irrigado com água da chuva. Uma vez por ano, o solo é enriquecido com turfa que ajuda a manter um pH muito ácido; se a terra em nosso jardim é muito calcária, então precisamos plantar o rododendro em vasos, para que muitas vezes possamos substituir e mudar o solo para mantê-lo sempre ácido. É fácil perceber se ela perde a acidez, pois a planta começa a ter folhas amareladas e a produzir poucas flores.

Cultivo de rododendro


Além dos problemas de acidez do solo e das várias doenças que o afetam, o rododendro é uma planta fácil de cultivar: prefere os locais sombreados porque não tolera muito o calor excessivo, necessitando de irrigação frequente, principalmente de Março a setembro, período em que o substrato deve permanecer sempre úmido. Em qualquer caso, a estagnação da água deve sempre ser evitada. Uma vez por ano, mesmo que seja preferível repetir a operação a cada quatro meses, um fertilizante de liberação lenta para plantas acidofílicas deve ser administrado na base da planta. Esta planta não necessita, no entanto, de grandes podas: basta retirar os ramos danificados após o inverno ou após a floração. Por ser uma planta nativa de áreas frias, certamente não teme as baixas temperaturas. No entanto, não tolera ventos fortes,

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.