Dicas

Sarna de pêra

Sarna

A sarna é uma doença que pode atacar muitas árvores frutíferas e pode ser causada por diferentes patógenos. A crosta da macieira é causada pelo fungo Venturia inaequalis, a crosta da pereira pelo fungo Venturia pirina, a crosta da nêspera pelo fungo Fusicladium eriobotryae. Até mesmo a rosa pode ser afetada pela crosta que pode causar consequências muito graves que podem levar à desfoliação da planta. O desenvolvimento da crosta e sua propagação são favorecidos por um alto nível de umidade nas folhas e por uma temperatura bastante elevada, geralmente entre 20 e 25 graus centígrados. A crosta apresenta algumas manchas de cor azeitona e aspecto aveludado.

Venturia pirina


Venturia pirina é um fungo pertencente à divisão de ascomicetes e é o patógeno responsável pela crosta de pera. Venturia pirina é um cogumelo que, ao contrário de outros, poderia hibernar em duas formas distintas. Como forma sexual, seria capaz de sobreviver ao inverno dentro das folhas mortas que caíram ao solo. Já a forma agâmica seria capaz de sobreviver ao inverno dentro das lesões que poderiam ocorrer nos ramos. Posteriormente, na primavera, o fungo pode infectar as plantas através dos ascósporos produzidos pela forma sexual ou pelos conídios produzidos pela forma agâmica. Os danos que podem ser produzidos pelo fungo podem ser muito grandes e causar a perda de colheitas inteiras.

Sarna de pêra


A crosta da pereiraapresenta sintomas mais ou menos graves nas folhas, nos rebentos, nos ramos e nos frutos. Os primeiros sintomas que podem ser observados são manchas de coloração marrom tanto na parte inferior quanto na parte superior das folhas. As manchas têm aspecto aveludado devido à frutificação do fungo. A parte afetada da folha não sofre deformações e somente no caso de infestação severa pode secar. Os ramos podem ser afetados por esta patologia quando estão na fase herbácea, embora os sintomas possam permanecer visíveis mesmo no final da lignificação. Nos galhos a doença se apresenta com manchas pretas nas pontas dos brotos ou do galho. Posteriormente, puderam ser observados abaulamentos e fissuras que, se estendidas, podem levar à morte do ramo.


Se a doença atingir os frutos, surgirão manchas com a cor azeitona com a cobertura de um bolor. Nos frutos recém-formados você pode ver a queda do fruto, enquanto nos frutos que estão em fase de desenvolvimento você pode ver deformações e rachaduras. Os principais ataques da crosta de pera podem ocorrer em climas particularmente chuvosos, com elevado grau de humidade e na presença de variações excessivas de temperatura. Para curar a doença, as plantas devem ser borrifadas com fungicidas já a partir do inverno para poder atacar até as formas que hibernam no interior das plantas. Também seria aconselhável eliminar as folhas caídas no solo para eliminar as infectadas.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar