Dicas

Rosas de ameixa

Rosas de ameixa

A poda é uma prática de cultivo que diz respeito a diferentes espécies de plantas, incluindo as nossas queridas rosas, que sempre foram consideradas as “rainhas” do jardim. As finalidades da poda, nas rosas, são completamente diferentes das outras espécies de plantas. Se em geral as plantas são podadas para melhorar a sua produção, as rosas são podadas exclusivamente por razões estéticas, ou seja, para melhorar o seu porte e a floração. Intervenções regulares, periódicas e direcionadas permitem obter lindas flores, com pétalas de uma cor mais viva e intensa. Nas rosas, portanto, a poda assume um alto valor ornamental, por isso deve ser realizada levando-se em consideração o estágio de desenvolvimento da planta, suas condições e as condições climáticas em que é cultivada. A poda de rosas segue as mesmas técnicas e regras da poda de outras plantas, ou algumas partes são cortadas para eliminar as velhas ou improdutivas e estimular uma melhor floração. A rosa, porém, é uma planta bela e variada, com caule espinhoso e comportamento diferente em função da espécie a que pertence, por isso é importante identificar a priori as partes a serem cortadas. Cortes de poda incorretos correm o risco de não só prejudicar o desempenho estético da planta, mas também causar o desenvolvimento de doenças graves ou, no melhor dos casos, eliminar os ramos produtivos, deixando os estéreis por engano. por isso é importante identificar as peças a serem cortadas com antecedência. Cortes de poda incorretos correm o risco de não só prejudicar o desempenho estético da planta, mas também causar o desenvolvimento de doenças graves ou, no melhor dos casos, eliminar os ramos produtivos, deixando os estéreis por engano. por isso é importante identificar as peças a serem cortadas com antecedência. Cortes de poda incorretos correm o risco de não só prejudicar o desempenho estético da planta, mas também causar o desenvolvimento de doenças graves ou, no melhor dos casos, eliminar os ramos produtivos, deixando os estéreis por engano.

» title=»Recursos

– «>

As rosas são podadas cortando os ramos, como acontece na maioria das operações de poda. Os cortes dizem respeito a ramos velhos, secos, doentes e improdutivos. O corte deixa feridas na planta que, nas condições climáticas adequadas e na fase certa do desenvolvimento da planta, cicatrizam facilmente, favorecendo o desenvolvimento de novos brotos produtivos. Nas rosas velhas, os ramos inúteis devem ser totalmente cortados, neste caso falamos de poda de eliminação, enquanto nas rosas novas, os mesmos ramos já não férteis, devem ser simplesmente encurtados, realizando a chamada poda de encurtamento ou corte reverso. Este tipo de corte é essencial em todas as intervenções de poda, pois favorece a rápida emissão de novos ramos férteis. Em rosas jovens, o corte dos ramos mais antigos também assume a função de poda “rejuvenescedora”. Antes de realizar este corte, o estágio de desenvolvimento das rosas deve ser cuidadosamente considerado. Em algumas espécies, a floração ocorre nos ramos do segundo ano, por isso é melhor evitar cortar esses ramos, a fim de salvar os botões a partir dos quais os novos botões irão se desenvolver.

Método de poda


As rosas podem ser podadas com o corte dos ramos, conforme já referido no parágrafo anterior, mas este corte deve ser feito com as técnicas adequadas, de forma a eliminar apenas os ramos inúteis. Esses ramos devem ser podados a partir do fundo, no lado oposto da segunda ou terceira gema. Para identificá-los, basta saber que são os ramos que se projetam para fora ou que possuem uma postura oblíqua em relação ao resto da planta. A identificação dos ramos a podar também deve ser feita sabendo-se reconhecer as duas ou três gemas do lado oposto. Se você não sabe o que são esses botões, corre o risco de cortar os galhos errados e tirar as partes produtivas da planta. Na prática, os botões opostos ao ramo a ser cortado são aqueles entre os botões, os caules e as folhas novas. Para ser correto, o corte deve formar, em relação ao botão da folha externa, um ângulo de quarenta e cinco graus. No entanto, a operação de corte deve ser precedida de uma inspeção cuidadosa da planta, a fim de identificar os ramos mais fortes, jovens e vigorosos para reservar para uma melhor floração. Se você quiser ter muitos botões, é aconselhável cortar os galhos o mais baixo possível. Na verdade, a altura de corte afeta o número de novos botões. Quanto mais baixo for o corte, maiores serão os próximos ramos de floração. o número de novas joias. Quanto mais baixo for o corte, maiores serão os próximos ramos de floração. o número de novas joias. Quanto mais baixo for o corte, maiores serão os próximos ramos de floração.

Precauções

A poda das rosas deve ser feita com extrema precisão e delicadeza. Os cortes são feitos com ferramentas de poda adequadas, incluindo tesouras, tesouras e serras. As lâminas dessas ferramentas devem ser devidamente limpas e desinfetadas, antes e depois do corte, para evitar a transmissão de infecções à planta. Cada ferramenta deve ser usada para espécies específicas de rosas. A tesoura e a tesoura servem para retirar os ramos mais finos, enquanto que para os mais grossos utilize a serra. As sebes de rosas são podadas com uma ferramenta chamada corta-sebes. É uma grande tesoura que permite desbastar grandes superfícies de plantas. Para evitar se picar ou se cortar, você precisa usar luvas de proteção muito grossas e resistentes. Ideal, na poda de rosas,

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar