Dicas

Repot bonsai

Por que repot bonsai?

O repoteamento do bonsai é uma operação muito delicada que deve ser realizada várias vezes durante a vida de nossa planta: deve ser realizada com cuidado para não submetê-la a esforços excessivos. Os motivos para o replantio do bonsai são muitos: se a planta foi adquirida recentemente, provavelmente o solo será adequado apenas para garantir sua sobrevivência durante o transporte em um caminhão refrigerado, então é melhor correr para se cobrir e trocá-lo. Além disso, o solo, a longo prazo, fica sem nutrientes ou pode se deteriorar e compactar demais, causando uma drenagem deficiente da água. Geralmente, então, a necessidade de replantio é sinalizada pela saída das raízes tanto pelos orifícios de drenagem quanto pelas bordas do vaso. Isso acontece porque,

Repotting: operações preliminares


A melhor época para replantar o bonsai é a primavera. Uma vez estabelecida a necessidade de replantio, é preciso ter o cuidado de fazê-lo em local sombreado e não ventilado: as raízes extraídas do vaso, de fato, não devem secar mas permaneça úmido. Se necessário, é bom ter um nebulizador para borrifar um pouco de água no sistema radicular. Para fazer a queima pode-se ajudar-se com uma faca para destacar a terra da borda do recipiente, tomando cuidado para não puxar o bonsai do tronco. Nesse caso, haveria o risco de quebrar muitos pelos da raiz, mas é melhor extraí-los virando o vaso de cabeça para baixo e batendo levemente no fundo. Em seguida, as raízes são liberadas do solo deixando-as nuas, uma operação que pode ser feita manualmente ou com o ajuda de um pedaço de pau para desembaraçá-los. Para facilitar essa etapa e evitar danificá-los acidentalmente, coloque-os de molho em um recipiente com água e desinfetante e deixe o solo se dissolver. Neste ponto intervimos com uma tesoura na raiz axial e nas raízes maiores, eliminando as mortas e tomando cuidado para não danificar os capilares.

Repotting bonsai: a importância do vaso


O recipiente que abrigará o bonsai deve ser esterilizado de parasitas e germes, além de ter formato e tamanho adequados. No fundo deve haver um ou mais furos de drenagem que serão cobertos com uma fina malha de plástico ou metal, de forma a garantir o gotejamento do excesso de água sem causar vazamento do solo. A escolha do vaso é uma etapa importante porque afeta o valor e a beleza da composição final. Pode ser de diversos materiais: o de terracota é o mais respirável, mas quebra-se mais facilmente do que os outros; o de porcelana é o mais elegante e deve ser escolhido para repotting espécimes «importantes»; enfim o do grés é o mais utilizado e com as mais variadas formas. Existem alguns parâmetros a seguir ao escolher o contêiner: a largura deve ser equivalente a 2/3 da altura da planta, enquanto a altura igual ao diâmetro da base do tronco. Um fator decisivo para a escolha é o estilo do bonsai: ele determina a escolha da forma do pote, que pode ser quadrada, retangular, redonda, oval, hexagonal, octogonal ou bandeja.

Repotting e operações finais


Depois de proceder à poda das raízes, vamos colocar o bonsai no novo vaso. Cobrindo os furos de drenagem com a rede podemos, se julgarmos necessário, ancorar a planta no vaso com um arame que passa pelos furos do recipiente e engancha na raiz maior, ou no tronco. Esta operação permite-nos ancorar o bonsai ao vaso e limitar os riscos de tombamento. Posteriormente, o sistema radicular é coberto com solo, garantindo que penetre em todas as interseções entre as raízes e os capilares; finalmente regue abundantemente com um nebulizador ou regador equipado com difusor, para que não se formem buracos no solo. Depois disso, a planta será colocada em uma área sombreada e protegida do vento por cerca de vinte dias.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar