Dicas

Pragas de rosas

As plantas mais bonitas

As plantas são uma dádiva da natureza para nós, seres humanos, preciosas tanto do ponto de vista estético / emocional (a beleza, afinal, sempre desperta emoção …) e do ponto de vista da necessidade da vida. É claro que essa visão é fortemente antropocêntrica, ou seja, dá importância um pouco demais ao homem, essencialmente colocando-o no centro do desígnio da Natureza. Na realidade este não é o caso, pois foi demonstrado que o homem está nesta posição dominante no planeta Terra devido a circunstâncias fortuitas, eventos aleatórios que o levaram a ter um caminho evolutivo incrível e único. No entanto, permanece o fato de que as plantas desempenham um papel fundamental na vida do homem e de todas as outras espécies vivas na Terra, na verdade, eles praticam um ciclo energético / químico que com as horas de luz produz a substância de que mais precisamos para viver: o oxigênio. No entanto, como todos sabemos, as plantas também são apreciadas por sua beleza e capacidade inata de fornecer, embelezar e tornar muitos de nossos ambientes mais acolhedores e habitáveis; de fato, a prática de manter as plantas em casa vem sendo usada desde os povos mais antigos, como os romanos e os gregos, povos de grandes culturas e visão marcada.

A Rosa


Uma das plantas mais bonitas do mundo é certamente a rosa: esta espécie de planta é tão famosa e amada que é realmente redutor chamá-la apenas de “bela”, na verdade seu encanto não deriva apenas da estética (que entre outras coisas são subjetivas, então alguém pode não gostar), mas é uma combinação de lenda, graça e romance que torna tudo tão especial. A rosa é uma planta arbustiva que possui três características principais: a flor, os espinhos e a… delicadeza. Sobre a flor não se fala muito porque muito já foi dito e escrito, tendo uma conformação de pétalas muito associada ao universo feminino justamente pela graça e aquela aura de inatingibilidade que ela evoca. Os espinhos da rosa são uma parte importante porque são muito dolorosos, pois borrifam todo o caule e galhos, e ambos porque são uma espécie de antítese da beleza da própria flor, como uma metáfora para as coisas boas e más da vida que estão todas muito próximas. A delicadeza da rosa não é a da aparência, mas sim a delicadeza da planta no sentido de pouca resistência às intempéries, mudanças de temperatura, doenças e vários parasitas.

Pragas de rosas

A rosa é uma espécie vegetal muito sujeita ao ataque de adversidades, sejam elas fungos, insetos, parasitas e vírus diversos; talvez esse aspecto seja também uma metáfora para a vida, no sentido de que as coisas belas são sempre aquelas que correm os maiores perigos e que desaparecem mais rapidamente, ou talvez seja tudo culpa das ações que o homem empreendeu durante séculos para tentar melhorar aparecimento das rosas e aumentar o seu já considerável mercado. O fato é que o plantel costuma ter uma duração limitada devido ao ataque de agentes externos; especificamente neste artigo, falamos sobre pragas de rosas. Existem alguns dos mais famosos, mas se forem apanhados a tempo, podem ser facilmente removidos; o importante é garantir que a planta viva em condições adequadas de temperatura e umidade, de fato, o excesso de umidade, pretendido sobretudo como depósitos ou estagnação de água perto das raízes, está entre as causas mais comuns de morte da planta. Para evitar tudo isso, sem o qual você não consegue nem pensar em cultivar seriamente uma rosa, é preciso se munir de um solo muito drenante, talvez com cacos ou pedras grandes no fundo, e evitar regar demais a planta.

Piolhos e moscas

Os parasitas que mais afetam a rosa são dois e são chamados (de maneira comum e popular, porque os nomes científicos são bem diferentes) de piolhos e moscas; especificamente, falamos de “piolhos das plantas” nos referindo aos pulgões, insetos muito pequenos, mas muito irritantes, que atacam não apenas a rosa, mas também muitas plantas. Formam numerosas colônias que levam a planta a uma morte lenta ou, em todo caso, a não produzir flores nem frutos (não é o caso da rosa) de maneira satisfatória; em particular, são as larvas que se alimentam da seiva das plantas de forma muito agressiva. Para eliminar esse hóspede chato, se tudo for levado a tempo, basta colocar joaninhas na área das plantas e em poucos dias você verá o resultado: joaninhas são muito ávidas por pulgões e podem exterminar rapidamente colônias inteiras. O segundo parasita incômodo são as chamadas “moscas rosa”, uma espécie de inseto que não se parece realmente com moscas, mas que atua destruindo a rosa por dentro ao estabelecer colônias dentro da planta e a comer por dentro; o problema é que, ao perceber essa doença, basta podar todas as partes já atacadas e torcer para que a planta se recupere. Infelizmente, isso não acontece com frequência, mas se for realmente apenas uma pequena parte da planta, existem possibilidades. um tipo de inseto que não se parece realmente com moscas, mas que age destruindo a rosa por dentro ao estabelecer colônias dentro da planta e a comer por dentro; o problema é que, ao perceber essa doença, basta podar todas as partes já atacadas e torcer para que a planta se recupere. Infelizmente, isso não acontece com frequência, mas se for realmente apenas uma pequena parte da planta, existem possibilidades. um tipo de inseto que não se parece realmente com moscas, mas que age destruindo a rosa por dentro ao estabelecer colônias dentro da planta e a comer por dentro; o problema é que, ao perceber essa doença, basta podar todas as partes já atacadas e torcer para que a planta se recupere. Infelizmente, isso não acontece com frequência, mas se for realmente apenas uma pequena parte da planta, existem possibilidades.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Mira también
Cerrar