Dicas

Lobelia

Lobélia delicada e refinada

Lobelia é uma planta anual decorativa para jardins e varandas que se integra em qualquer espaço, valorizando-o sem se tornar um protagonista autoritário. O seu desenvolvimento arbustivo permite controlar o crescimento da planta e poder dar-lhe a forma mais adequada ao espaço em que se insere, enquanto as pequenas mas numerosas flores, com nuances que vão desde tons de púrpura, lilás e ‘ o azul, passando por rosas e vermelhos mais brilhantes ou brancos puros, fazem dela uma planta capaz de dar vida a ambientes requintados e românticos. A lobélia é muito comum para fins ornamentaisgeralmente não ultrapassa os 50 cm de altura nas lojas, ainda que, na realidade, em seus ambientes ideais da Oceania, América e África do Sul, possa até atingir três metros de altura. A lobélia pertence à família das Campanulaceae e possui flores pequenas e características tubulares, acompanhadas por folhas verdes brilhantes e um aroma intenso e pungente que ajuda a realçar o encanto e a personalidade desta planta. As muitas espécies existentes diferem principalmente na variedade de cor das flores e na sua forma, bem como nas características das folhas, mantendo características distintivas comuns que tornam a lobélia facilmente reconhecível.

Cultivo


Mesmo aqueles que não têm um polegar verde forte podem experimentar com sucesso o cultivo de lobélia, que é uma planta fácil de cultivar. Na verdade, a planta não requer atenção especial, senão um local sombreado ou semi-sombreado que permite que a planta receba luz solar suficiente sem correr o risco de queimar as folhas. A lobélia teme a estagnação da água, por isso deve ser regada regularmente mas sem exagerar, evitando a estagnação da água e prevendo a rega apenas após a secagem do solo, para evitar o apodrecimento das raízes. Com a chegada das baixas temperaturas, a lobélia vai secar rapidamente: isso acontece no outono, dependendo do clima e das temperaturas do período. Quando os primeiros ramos começam a secar, entretanto, é melhor eliminá-los com o uso de tesouras e ferramentas esterilizadas, para evitar que galhos secos ou cortes se tornem veículos de infecções e ataques de parasitas por lobélia. A presença de parasitas ou doenças pode ser facilmente identificada se as folhas forem cuidadosamente observadas, que se afetadas apresentarão manchas escuras ou amareladas. A intervenção deve ser oportuna para que a colonização permaneça em uma área localizada e possa ser erradicada, por meio do uso de produtos específicos. Se, por outro lado, houver poucos parasitas fáceis de localizar, basta limpar a área afetada com um cotonete, tendo o cuidado de removê-los completamente. Durante o período de vida vegetativa, no entanto, é aconselhável adicionar regularmente,

Reprodução


Entre as muitas vantagens que a lobélia oferece não está apenas o impacto decorativo e a facilidade de cultivo, mas também a simples reprodução que pode ser feita por semente. Para ter novas mudas disponíveis, basta colocar as sementes em vasos ou canteiros sob uma fina camada de terra e areia, mantendo-as úmidas até o momento da germinação. As sementes assim arranjadas devem ser armazenadas em ambiente sombreado e com temperatura constante em torno de 18 graus. Para manter a temperatura e a umidade sob controle, é possível espalhar uma camada de filme transparente no vaso, tendo o cuidado de retirá-lo de vez em quando para promover a transpiração. As sementes devem ser plantadas no solo entre fevereiro e março, enquanto as novas mudas germinadas podem ser colocadas em um local mais ensolarado, mesmo se desprovido de exposição direta. A presença de uma espessa germinação não será surpreendente; entre as mudas, porém, é aconselhável selecionar as mais fortes e resistentes, que, graças à eliminação dos exemplares mais fracos, terão mais espaço para crescer. As mudas podem ser colocadas no solo e normalmente cultivadas de acordo com as condições descritas a partir do segundo ou terceiro mês.

Propriedades benéficas


A Lobélia não é apenas uma fonte de decoração para o jardim, mas também, como muitas das plantas presentes na natureza e muitas vezes também nos nossos jardins, um cultivo que pode revelar-se rico em efeitos benéficos para o organismo e, portanto, um aliado precioso para a saúde diária. Na verdade, a lobélia já era explorada pelos nativos americanos para combater problemas e distúrbios relacionados ao sistema respiratório, como asma, bronquite ou pneumonia. Para se beneficiar dos efeitos positivos da lobélia, as populações ancestrais fumavam suas partes aéreas: hoje, felizmente, não é mais necessário e pode-se limitar-se a tomar os produtos à base de plantas derivados dela, ricos em lobélia, para combater doenças brônquicas e asmáticos. manifestações. Na tradição americana, o uso da lobélia também para induzir o vômito e, assim, purificar o corpo de substâncias negativas e nocivas, purificando o corpo. Essa tradição, porém, não deve ser enganosa: a lobélia deve ser controlada por especialistas, pois o consumo excessivo pode ter o efeito contrário e envenenar o corpo, tornando-o venenoso.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.

Mira también
Cerrar