Dicas

Dipladenia

Dipladenia para a varanda

Dipladenia é a rainha das varandas: a sua difusão é cada vez mais generalizada graças à sua elegância e, ao mesmo tempo, à facilidade de cultivo. É uma planta que num pequeno espaço consegue decorar com uma folhagem densa e flores de cores vivas, que por estes motivos é muito procurada em pequenos espaços.

O poder decorativo da dipladenia é enriquecido pelo seu hábito de trepar, o que permite que a planta se transforme num elegante elemento decorativo que se desenvolve em torno dos elementos de suporte da varanda ou terraço. No entanto, é aconselhável permitir a trepadeira em elementos fixos do espaço externo apenas em áreas de clima ameno, onde é possível deixar a planta ao ar livre mesmo no inverno.

Caso contrário, é melhor usar grades móveis que permitam o transporte da planta para locais protegidos do frio. Existem cerca de 30 variantes de dipladenia, que se distinguem por características também claramente visíveis. De um modo geral, a dipladenia tem folhas opostas de cor escura com margens completas, que criam um contraste fascinante com as flores grandes e tubulares.

Cultivo dipladenia


O cultivo da dipladenia é fácil, desde que você tenha a previdência de abrigar a planta com a chegada do período de inverno, pois é uma planta que sofre com temperaturas rígidas e não deve ser exposta a condições climáticas com temperaturas abaixo de 12 graus.

Dipladenia pode ser cultivada em vasos, com solo fértil rico em matéria orgânica. É uma planta que teme principalmente a estagnação da água na raiz, por isso é aconselhável colocar cacos no fundo do vaso para evitar que a água se acumule e apodreça as raízes. Pelo mesmo motivo, as regas serão frequentes mas não muito abundantes, de forma a evitar a estagnação mesmo à superfície. Em vez disso, deve-se evitar o sol direto e as correntes de ar: é melhor recriar ambientes úmidos e semi-sombreados, ideais para plantas de origem tropical como a dipladenia. Nos períodos outonais a rega pode ser suspensa ou em qualquer caso muito espaçada, para permitir que a dipladenia entre em repouso vegetativo. No verão, porém, a frequência será maior, mesmo que seja uma planta que não teme determinados períodos de seca. Durante o verão, um bom fertilizante pode ser adicionado à água de rega, para favorecer o desenvolvimento da planta e uma floração exuberante.

Poda de dipladenia


A dipladenia é uma planta com desenvolvimento de trepadeira e cobertura do solo, que necessita de podas para garantir um desenvolvimento controlado. A poda é especialmente importante para plantas, como a dipladenia, cujas raízes permitem o cultivo mesmo em pequenos espaços: nestes casos é importante saber controlar o tamanho da planta para evitar que invada todo o espaço disponível, criando um volume excessivo e tornando-se um elemento de obstrução ao invés de decoração. A poda exigida pela dipladenia é muito decisiva e, portanto, deve ser realizada no período adequado, ou seja, no outono, para permitir o descanso adequado à planta. Os ramos novos que surgiram durante o período da primavera devem ser cortados a uma altura de cerca de 5 cm da base. Essa operação vai permitir que a planta tenha mais fôlego e nutrição para a produção de uma copa exuberante e forte também para o ano seguinte. As vantagens também serão preventivas na comparação de doenças: uma planta mais saudável é aquela que tem mais capacidade de resistir aos ataques de parasitas e fungos.

Doenças e parasitas dipladenia


Para revelar a presença de pragas ou doenças em curso, no caso da dipladenia, são principalmente as folhas: observá-las é o método mais simples e imediato para saber se algo está errado e se a planta está em risco. Pelas folhas, amareladas ou pendentes, é possível detectar um cultivo incorreto: neste caso, basta aumentar ou diminuir a rega de acordo com as necessidades da planta para trazê-la de volta a um ótimo estado de saúde. No entanto, o caso das infestações por fungos e parasitas é diferente: neste caso, a intervenção oportuna com produtos adequados é muitas vezes a única solução. As causas podem ser diferentes, assim como as manifestações visíveis: se as folhas estiverem salpicadas de pequenas manchas escuras pode ser uma aranha vermelha, um pequeno parasita capaz de causar danos consideráveis ​​à planta. A cochonilha felpuda também é muito difundida, cujo nome se explica facilmente ao se observar sua presença nas folhas, que se manifestarão como pequenas manchas brancas com aspecto felpudo. Eliminar os parasitas presentes nas folhas não é fácil: se a infestação está em um estágio inicial e, portanto, em uma área limitada, basta eliminar os parasitas com um cotonete embebido em álcool. Caso contrário, será necessário intervir com produtos específicos e com o lote químico, se necessário. O fundamental é poder eliminar qualquer parasita presente, evitar que a infestação se espalhe e volte a progredir, colocando em risco a própria sobrevivência da planta.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.