Dicas

Agro-ecológico em escola Saragoça. #WeWant para KnowYourHuerto

Bom dia a todos os Agrohuerters! Seguindo a iniciativa de Dani que assumimos há algumas semanas, #QueremosConocerTuHuerto , desta vez iremos a Zaragoza para ver o projeto de conclusão de curso de Rafael González del Castillo, um arquiteto muito empreendedor que desenvolve iniciativas inovadoras no campo da sustentabilidade e reaproveitamento / reciclagem de espaços e materiais.

Rafael, estava pedalando pelo cinturão verde de Saragoça quando descobriu que havia uma área pouco tratada e de grande valor ecológico, a foz do rio Gállego no rio Ebro localizada no extremo leste da cidade.

Esta zona caracteriza-se por ser um ponto de transição entre o urbano e o rural , em poucos metros vai da cidade ao campo, encontrando parcelas de cultivo e pomares muito férteis devido às contribuições dos rios. Rafael decidiu aproveitar esta situação para criar um enclave que pudesse combinar as propriedades benéficas do rural e do urbano, suavizando a transição entre estas duas realidades, e é aí que entram em jogo os nossos queridos jardins urbanos .

O projeto Agroescuela ecológica em Saragoça

O projeto de Rafael tem como foco a criação de uma escola agrícola ecológica que aproveite a foz do rio Gállego para a formação de pomares. Esses pomares se beneficiam das contribuições do rio em suas enchentes e seriam visitados com a ampliação do cinturão verde da cidade.

Deixo-vos este vídeo para ilustrar melhor o vosso projeto:

Como vê que a cidade de Saragoça tem dois parques e um anel verde que margeia o rio Ebro. A ideia de Rafa é dar continuidade a este anel verde criando a escola agroecológica e um terceiro parque que sirva de ligação para o referido. Isso confere ao projeto um caráter inovador ao reinventar os espaços naturais para dar-lhes uma utilidade que beneficia todos os cidadãos, criando áreas verdes e recreativas combinadas com parcelas produtivas dedicadas à horticultura e construindo uma escola agrícola que ensina princípios ecológicos aos habitantes da cidade e do usuários dos pomares.

Não é de se admirar que o projeto tenha recebido muitos prêmios, pois fornece um serviço e solução para uma infinidade de problemas e preocupações sem muitas complicações.

O sistema de terraço multifuncional

Vou tentar explicar um pouco melhor os mecanismos desse projeto porque tem muita migalha …

Como deve ter visto no vídeo, o Ebro tende a aumentar a sua canalização com o passar dos anos. Rafael levou esta circunstância em consideração ao projetar um sistema de terraço multifuncional :

  1. Os terraços permitem que você tenha diferentes parcelas para diferentes usos, dependendo da rotação de cultura proposta.
  2. As paredes de gabiões são uma estrutura que permite parcialmente a entrada de água, a água filtra-se pelos gabiões, o que aumenta a permeabilidade dos solos e consequentemente a fertilidade dos pomares.
  3. O aproveitamento da inundação periódica do rio permite que as parcelas sejam renovadas com novos sedimentos, recebendo diretamente os aportes dos mesmos durante suas cheias. Este efeito será maior nas parcelas inferiores. Isso significa que nenhuma entrada externa de fertilizantes ou fertilizantes é praticamente necessária para as lavouras e dá ao projeto um caráter mais ecológico.

No link anterior poderá conhecer todos os meandros da construção da agroschool, os seus troços, estruturas e instalações, se olhar de perto tem de tudo, desde um salão de congressos, cafetaria, mercado, centro de investigação etc. .. São folhas que devem ser observadas de perto porque estão repletas de detalhes como saneamento, sistema de aquecimento, rotação de culturas proposta, permacultura e iniciativas ecológicas , etc.

Rafael seccionou a construção para que possa ser vista em diferentes cortes. Assim podemos observar em vários trechos o arranjo das lavouras propostas em função da área do rio, sua capacidade de inundação e as respectivas edificações da agrosucela. Podemos observar como estão as plantações experimentais ao lado do prédio de pesquisa, a biblioteca ao lado do jardim urbano etc.

Devo dizer que, mesmo que o projeto esteja concluído, é improvável que seja realizado porque os projetos de arquitetura são mais focados na pesquisa teórica do que na execução prática. Ainda assim o Rafael teve oportunidade de o explicar ao vereador da cultura de Saragoça, espero que um dia o faça, aproveitar as zonas ribeirinhas para criar pomares permite que a paisagem urbana seja muito melhorada através da criação de zonas verdes com praticamente mínimas manutenção para aproveitar as contribuições do rio como substrato .

Espero que tenham gostado do projeto dele, achei muito interessante e é por isso que queria apresentá-lo a vocês, obrigado Rafa por nos explicar, suponho que se você tiver alguma dúvida pode apresentá-lo a ele a partir deste mesmo post .

Não se esqueça de dar uma olhada em nosso canal no YouTube para se divertir aprendendo mais dicas sobre horticultura:

Uma saudação forte!

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.